quinta-feira, 1 de maio de 2014

Pau de arara- classe turística #recomendo

Envolvida na escrita do meu terceiro livro, há tempos não lia um romance (exceto por "No ano daquele beijo", minha leitura esteve limitada aos exemplares que reviso e a leitura rápida de contos e crônicas). 
Confesso que ao longo do tempo, me tornei uma leitora exigente (ainda que uma escritora aprendiz). Gosto de volumes que requerem leitura atenta, que contenha referências implícitas e que me levem a pensar. Vez ou outra, no entanto, também me agrada os romances água com açúcar. Mas, foi com desconfiança que abracei "Pau de arara- classe turística" de autoria de Regina Rheda (até então, desconhecida para mim). Surpreendi-me. A escrita desta, ela mesma, uma ex-cineasta e emigrante, é leve, divertida, fluída. Devorei o livro em poucas horas.
O enredo, basicamente, conta a história de uma mulher de 30 anos, emigrante brasileira, que resolve passar seis meses na Inglaterra enquanto aguarda o envio de seu passaporte com cidadania italiana, o que lhe garantirá o direito de morar na Itália, país de seus antepassados. No entanto, as coisas não saem como o esperado e esta jovem, acostumada com o status de um curso superior e a vários prêmios brasileiros, tem que sobreviver como babá e ama de casa em solo estrangeiro. As coisas se complicam quando um agente da emigração passa e segui-la e seus advogados comunicam que será impossível conseguir o tão sonhado documento (o passaporte). Rita, a protagonista, pensa que o tal agente, Ian, quer apenas enviá-la de volta para casa, quando, na verdade, o rapaz está apaixonado por ela. 
Ademais, vale citar os trechos hilários dos momentos em que a moça perambula de Pub em Pub à procura de um amor ou quiçá, uma amizade, para partilhar da sua solidão. Alguns parágrafos que narram suas aventuras amorosas, apesar de um pouco calientes, são também divertidíssimos. A saber:

"Agora era uma questão de honra. Ninguém ia broxar comigo não! (...) Mas foi pensar e me dar conta de que os roncos estavam sendo emitidos por William, entregue de corpo e alma aos braços de Morfeu. Desisti, finalmente. Ali, nem o guindaste de Maria Madalena, que era puta e virou santa milagrosa, conseguia suspender..." (Como se trata de um blog aberto, suprimi o trecho em que ela narra o ato sexual que tentava empreender, mas recomendo a leitura direta no livro).

Pau de arara é mais uma crônica de viagem do que propriamente um romance, mas seja pelos mistérios, pelo retrato da sociedade inglesa ou pelas estripulias sexuais, é um livro que vale ser lido. Recomendo.

Pau de arara-classe turística
Rio de Janeiro. Editora Record, 1996.
224 páginas.

Sobre a autora: Regina Rheda (Santa Cruz do Rio Pardo, 1957) é uma escritora brasileira de romances e contos. Sua prosa abrange temas urbanos, migração transnacional e direitos animais. Analistas têm apontado originalidade e ironia em sua obra. Nascida no Brasil, mora nos Estados Unidos. A maioria de seus trabalhos está traduzida para o inglês. É autora, entre outros, de "Arca de Noé" (2010) e "Livro que vende" (2003). Está viva e administra um blog: reginarhedaescritora.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)