terça-feira, 14 de janeiro de 2014

O que penso do "rolezaum"

A meu ver, a intervenção no tal "rolezaum" não se trata de um apartheid à brasileira, mas um ato em legítima defesa. Todos nós sabemos que, independente da cor da pele, estes jovens que organizaram o tal "rolé" não estavam bem intencionados. O objetivo talvez fosse usufruir dos mesmos direitos do restante da sociedade, porém, usando da força, da baderna, da ignorância. Qual proprietário de loja ou pai de família não se sentiria ameaçado? Nunca vi e acho que não verei, um GRUPO CIVILIZADO ser barrado na porta de qualquer estabelecimento. Porém, me sinto incomodada com a falta de respeito daqueles que tanto lutam por seus direitos, mas esquecem dos seus deveres. Jovens como estes que, intitulados por outros como "minorias", invadem o espaço e o sossego alheio, empunhando celulares (com música em último volume), berrando obscenidades, provocando empurra-empurra e tentando, a todo custo, se fazer notados. 
São frutos da má educação recebida. Se isso é culpa dos pais, dos governo ou da elite, eu não sei... Contudo, não aceito e não compactuo com o discurso a favor destes.
No domingo, presenciei cinco adolescentes furando o pagamento da passagem de ônibus. Entraram destemidos, como se, por direito, pudessem cometer tal ato. Não contentes com a invasão, promoveram a maior algazarra no veículo e no terminal. 
Fiquei put@. Alguém precisa ensinar para estes justiceiros que se eu, cidadã comum, tenho acesso a determinadas coisas é porque exerço a minha cidadania, colocando em prática não só o direito de ser livre, mas de respeitar ao próximo. 
E tenho dito!


Para quem está por fora do assunto, leia mais aqui:

Shopping consegue na Justiça direito de impedir 'rolezinho'

Os “rolezinhos” e um apartheid à brasileira

2 comentários:

  1. Querida Michele

    Não estou a par do assunto, no entanto pelo que escreve, concordo consigo.
    Neste tempo em que vivemos, um pouco por todo o mundo, há os que só reclamam direitos e não conhecem a palavra "deveres".

    Obrigada pela sua visita, amiga.
    Quando penso em si, sorrio...
    Tenho muito boas lembranças...
    Uma delas, é a alegria com que recebi, via correio, uma bela foto sua.
    Quem é que faz isso?
    A Michele fez.

    Um grande abraço
    Que a vida lhe sorria. Que seja feliz.
    Do coração
    Viviana

    ResponderExcluir
  2. Estive a ler e a ver não só esta postagem mas uma parte de seu blog,e gostei, dou-lhe os parabéns pelo blog por seu trabalho e obrigado por partilhar.
    Ficarei muito feliz se desejar fazer parte dos meus amigos virtuais,
    decerto que vou seguir também o seu blog.
    Deixo as minhas cordiais saudações, e muita paz.
    Sou António Batalha.

    ResponderExcluir


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)