domingo, 10 de maio de 2015

Questão de estilo...

"Onde terei jogado fora 

Meu gosto e capacidade de escolher, 

Minhas idiossincrasias tão pessoais?"

(Carlos Drummond de Andrade)

Sempre me impressionei com as pessoas que possuem uma forma particular de ser e estar no mundo. Acho o máximo quando alguém reage de modo especial a alguma coisa, quando se veste, pensa ou compreende algo de um modo muito "seu". Isso se chama idiossincrasia e é uma questão de estilo. 
E já que estamos a falar em estilo, por que não fazer referência ao literário?
Como todos sabem, eu leio muito. Minha lista de autores de cabeceira é infinita... Tenho uma admiração muito grande pelos clássicos, mas aprecio sobretudo os contemporâneos.
Não é fácil ser escritor no Brasil. Não na época atual, em que o "estilo" foi substituído por "fórmulas" e basta se encaixar ao molde para que sua "obra" venda.
Clarice Lispector, em início de carreira, causou muito rebuliço e estranhamento. Consideravam sua escrita um tanto hermética (confusa, misteriosa, difícil de ser compreendida....). E hoje, vejam só, suas frases pululam nas redes sociais e são repetidas como mantras até mesmo por adolescentes. 
Caio Fernando Abreu teve sua literatura definida como "fragmentada", pois muitas vezes escrevia a partir de anotações e esboços feitos no cotidiano.
Particularmente, sempre invejei o estilo dos dois, sempre quis escrever como eles. Quantas vezes, ao ler um conto ou crônica, não me perguntei: "Por que nunca pensei nisso antes? Por que não escrevi isso?". 
A resposta é simples: cada autor possui uma capacidade criativa para produzir determinado resultado estético. Não adianta tentar plagiá-los- teu texto parecerá uma torta ou bolo destes copiados do youtube (que pareciam tão fáceis de serem feitos, mas que, no entanto, desandaram antes mesmo de sair do forno).
Dia destes, me caiu nas mãos o livro "Tratado geral sobre os males da alma", de autoria de Flávia Brito. Confesso que eu estava determinada a ler uma ou duas crônicas e abandonar a leitura caso não me agradasse. Não consegui. Li todas na mesma noite e ao concluir fiquei com aquela sensação de "pôxa, já?!". Encontrei um link para o blog da moça (http://sabe-de-uma-coisa.blogspot.com.br/). Fui espiar. A Flávia tem estilo. E futuro.
E eu senti uma pitada de inveja por não saber escrever como ela...
Mas, não me resta outra alternativa a não ser indicar a leitura para vocês e, quem sabe, receber um elogio pela indicação.
Não custa tentar...

TRATADO GERAL SOBRE OS MALES DA ALMA
Gênero: Crônicas (selo Castiçal)
Autor: Flávia Brito
ISBN: 978-85-66266-28-3
Para comprar: R$30,00



9 comentários:

  1. Muito obrigado pela dica sobre o livro da Flavia Brito, vou comprar! Aliás, estou precisando de suas dicas sobre meus escritos. Você me disse que já lançou um livro.; então, me fala como foi isso e quantos escritos você tinha pra "montar" o livro? Eu tenho pouca coisa escrita e preciso de sua ajuda, se não for incômodo! Rsrsrsrsrs...Grande beijo!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gera

      Vou te passar meu e-mail e em seguida todas as informações sobre como funciona a publicação.
      Não é incômodo algum!
      Abraço

      Excluir
  2. Essas nossas esquisitices, digo, idiossincrasias, ah, tudo a mesma coisa :)
    Ainda bem que não somos nós que escrevemos tudo que acabamos de ler e gostamos. Seria como se mantivéssemos o mesmo volume do espírito espalhados por áreas cada vez maiores. Nossa profundidade seria fortemente afetada. Seríamos meros seres espelhos d'água.

    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rob

      Você está coberto de razão! A velha história: que seria do vermelho, se todos gostassem do amarelo...

      rsrs

      Abraço!

      Excluir
  3. Ei Michele, primeiramente obrigada pela visita no meu blog e pelo incentivo!! :) Em segundo lugar, adorei seu blog.. Ainda não tive tempo de ler muito dele, mas assim que tiver um tempinho com certeza o farei.
    Também adoro ler, amo escrever e tenho certeza que vou adorar!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Dicas são sempre bem vindos. Livro quando lido com prazer-não tem preço. Tenho uma lista de livros que pretendo ler no futuro, inclusive o seu, mas a lista é grande, demora um pouco a levar em prática. Bom domingo....Carlos Medeiros... http://grandeonda.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, Carlos. Os livros nos livram da ignorância.


      Abraço

      Excluir
  5. Gostei da dica! Vou lá visitar!
    E essa questão de estilo é engraçada mesmo e eu também já me peguei várias vezes pensando isso "nossa, tão óbvio e tão bem escrito... como não pensei nisso antes?"..... hahahahah surreal! Achei que só eu fosse louca de pensar isso!!! =P Mas é verdade, cada um tem uma maneira de pensar, de agir e de escrever e isso é muito maneiro!
    Beijos

    ResponderExcluir


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)