sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Um dia de cada vez


Há dois anos atrás, encaminhei meus livros para determinada Editora, bem conhecida no mercado. Fui ignorada completamente. Não me enviaram nenhum parecer, nem mesmo negativo.
Recentemente, após a publicação cuidadosa das mesmas obras por outra empresa, eis que os representantes da anterior me procuraram:
"- Professora, quanto talento! Por que não nos enviou seu material? Já tem um terceiro livro sendo escrito? Seria uma honra que publicasse conosco".
Respirei e respondi:
- Seria.... Se vocês tivessem avaliado meu material quando eu ainda não tinha nenhuma obra no currículo. Seria, se não tivessem ignorado meus e-mail´s. Seria, se tivessem aberto a primeira porta. Hoje, estou satisfeita com o trabalho da minha Editora e não pretendo abandoná-la tão cedo. 
Olharam-me de soslaio, claramente envergonhados.

Durante o mês de janeiro, contatei diversos jornais literários (locais e nacionais), cujo objetivo, garantem, é a divulgação de textos de novos autores. Nenhum, repito, nenhum editor respondeu a meu e-mail. 

Busquei auxílio da mídia e da secretaria de cultura local, visando a divulgação de meus livros e movimentar a cultura em nossa cidade. Nenhum dos meios procurados demonstraram qualquer interesse.

Não me aborreço.
Não me chateio.
O universo possui um misterioso fluxo. 
 Hoje eu envio e-mails. 
Um dia, talvez, esperarão a minha resposta.

5 comentários:

  1. Nossa, seu post foi sensacional! É isso mesmo. Sem desespero e um dia o mundo dá voltas... Que aliás, é o que o mundo mais sabe fazer: dar voltas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aline

      É assim mesmo! E acaba sendo bom!

      Um grande beijo

      Excluir
  2. Sem dúvida que irão esperar. Eu amo quando a vida dá aquela volta e tudo o que estava embaixo fica por cima.
    Grande abraço Michele!

    ResponderExcluir
  3. ...que delicia as voltas que a vida dá!

    sucesso, todos!

    beijo

    ResponderExcluir
  4. ééééé... o mundo dá voltas. a vida dá voltas. é só esperar.
    mas, se fosse o tal do Paulo Coelho, ninguém ia pestanejar 2 vezes.
    triste, mas, é.

    ResponderExcluir


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)