quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Haja paciência!


Eu, em uma turma de 6o. ano:

- Gente, um texto é como um cachorro quente. As fatias de pão equivalem a situação inicial e desfecho. O molho, com a salsicha e a batata palha é o desenvolvimento da história. O clímax, o momento mais emocionante, mais gostoso e divertido fica no meio do texto. Por isso, precisa ser escrito com cuidado, de forma a garantir que o leitor se delicie com o que está lendo. 

- Professora- um aluno interrompe.

- Fala.

- Eu não gosto de cachorro quente.











Um comentário:

  1. Hahahahahahahahha... tive que rir!!! Qual a pessoa que não gosta de cachorro-quente? Eles inventam qualquer coisa para ser do contra, né?!

    ResponderExcluir


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)