sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Um dia, amor.

Um dia, amor, teremos um lar.
Bem mais que casa.
Bem mais que olhar.

Um dia, amor, teremos um lar.
Um chão firme,
a cama da gente.

Um dia, amor, teremos um lar.
com uma lareira na sala
e uma grande biblioteca
e no ar o cheiro de café
para esquecer toda preocupação.

Um dia, amor, teremos um lar.
Onde  possamos, todas as tardes
guardar nossos livros 
e os filhos que hemos de ter...

Um dia, amor, teremos um lar
e uma vizinha velhinha
para nos contar histórias
e tudo o que ainda não vimos.

Um dia, amor

10 comentários:

  1. Um amor, um lar, não tem preço. Abraços....Carlos Medeiros....http://grandeonda.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlos

      Às vezes tem. Mas vale a pena.


      Um abraço

      Excluir
  2. Que delícia!
    Um lar com cheiro de café, uma biblioteca,lareira e uma vizinha velhinha.
    Quem precisa de mais do que isso? rs
    Grande abraço Michele!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Né, linda? É só o que preciso! :)

      Beijão

      Excluir
  3. Fazia tempo que não te via em poema.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo, Fred. A poesia andava adormecida e o sonho acordado. Mas voltei.

      Um abraço

      Excluir
  4. Mesmo estando quase na metade de janeiro, vim te desejar um feliz ano novo... Afinal o ano ainda está começando e com ele novos planos e sonhos! Que tudo se realize! E que seu blog seja cheio de coisas lindas a compartilhar.

    Beijinhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luciana

      Energias boas como estas são sempre bem-vindas! Obrigado.
      Que nosso 2013 seja sensacional!

      Beijos

      Excluir
  5. Gostosinho de ler, menina! Como tu escreves, claro! Michele... muito ter vc de volta no TPM... achei que tinhas me deixado... hehe! Mega-feliz 2013 pra ti, gatona! Bjos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Fred.

      Bom te encontrar aqui tbm. :)

      Um belíssimo 2013!

      Beijão

      Excluir


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)