domingo, 27 de janeiro de 2013

Da finalidade do fim

Todos os dias morrem milhares de pessoas em todo o mundo. Por diversas vezes, todos já enfrentaram a morte de um familiar ou amigo. Um dia, todos morreremos. Apesar disso, até hoje, ninguém descobriu como lidar com a ausência da vida, nem como amenizar a dor por ver alguém amado partir sem deixar recado.
Parece injusto, da parte divina, permitir o óbito de pessoas tão jovens.
De repente, diante de uma tragédia como a deste final de semana, os problemas da vida parecem pequenos demais. 
A conta de luz atrasada, a correria para entregar um trabalho em tempo, a toalha molhada jogada em cima da cama, a montoeira de roupa por passar... Nada mais faz sentido.
É dolorido. Incomoda. Inquieta, mesmo não sendo mãe, pai, irmã ou amigo daqueles que se foram.
Talvez seja a maneira que Deus, ou aquilo/aquele a quem chamamos assim, de nos fazer perceber a efemeridade da vida.
Talvez seja o momento de prestarmos mais atenção naqueles que continuam vivos (por um dia, um mês, um ano... quem é que sabe?) e que amamos.
Aos mortos, o descanso.
Aos vivos, mais amor, por favor.

9 comentários:

  1. Realmente ver as reportagens dessa tragédia é algo que ninguém fica indiferente. Coisa horrível, principalmente por ter vitimado pessoas tão jovens, com tanta vida pela frente.

    Sempre me pergunto o que o Universo quer dizer com tudo isso. Por que uns morrem tão cedo e outros tão tarde?

    Beijocas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dama

      Fiquei incomodada, com uma sensação de culpa por me sentir feliz sabendo da tristeza de tanta gente.

      Muito triste.

      Beijo

      Excluir
  2. Linda mensagem para uma reflexão quese junta ao acontecimento triste de RS. Que Deus dê o conforto no coração daquelas famílias e amigos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu, escrevi pensando nas mães que perderam seus filhos, nas pessoas que estavam trabalhando lá e deixaram esposo, filhos ou namorado....

      Muito triste.

      Excluir
  3. Realmente triste, Michele. É impossível não se comover diante da dor das famílias ou ao ver tantos sonhos interrompidos, tantas histórias brutalmente inacabadas. Não sou capaz de entender os porquês (se é que existem).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Inai

      Eu não consigo entender quem não se comove com uma situação destas...

      Falta amor no mundo.

      Excluir
  4. Mais amor. É isso mesmo Michele! Perfeita tua reflexão, minha letrada e sensível amiga! Bjos!

    ResponderExcluir
  5. Estava fazendo esse tipo de reflexão. Hoje pela manhã li o relato de um homem que brigou com a namorada no sábado e ela decidiu ir com as amigas à boate. Ele não questionou nada, pois, segundo ele, sabia que ela ligaria no dia seguinte... e o dia seguinte simplesmente não chegou!

    É muito triste ler esse tipo de coisa. É muito triste que mesmo sabendo que a vida é curta e que podemos morrer a qualquer momento, ainda existam pessoas que brigam por nada. Também me incluo neste meio, pois sou um ser humano passível de erros e acertos!

    Enfim, esse tipo de tragédia nos traz uma reflexão maior na vida. Mas se isso servir para as pessoas melhorarem, então, que assim seja!

    Bjs.

    Obs.: Primeira vez que visito o blog e gostei muito! Vou colocar nos meus favoritos para passar por aqui de vez enquando! Bjs.

    ResponderExcluir


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)