domingo, 2 de dezembro de 2012

Lançamento do livro "Vastas emoções, vagas promessas"









E nasce a primeira apreciação a respeito do meu livro "Vastas emoções, vagas promessas":

"Ler um bom livro é como fazer uma bela viagem de férias, é conhecer o novo e ir ao encontro do inusitado. É dar asas a imaginação e adentrar a história de modo a fazer com que os personagens tenham vida, ou melhor, é viver o personagem de perto, incorporá-lo de modo a sentir suas emoções. Um bom livro nos traz
 ao final a sensação de uma história vivida, a qual nos trará recordações e nos renderá muito assunto para uma roda de conversa. O bom livro, em minha opinião, é aquele que nos apresenta personagens com personalidade, que são tão fortes que parecem seres reais e não apenas seres imaginários que só existem na cabeça do próprio autor. Eu, particularmente, já li muitos livros, de autores famosos e não famosos, sou uma grande apreciadora da literatura portuguesa, apaixonada pelas histórias de Eça de Queirós e Camilo Castelo branco; porém, adoro viajar na garupa de Rocinante vivendo de perto as emoções de Dom Quixote. Muitas foram as leituras, mas poucas me proporcionaram tanto prazer ao ler. Recentemente em um livro de uma autora não famosa, em início de carreira, sua personagem central parece ter vida, sua personalidade forte nos contagia de modo a querermos conhecê-la mais e mais. Ler “Vastas emoções, vagas promessas” é fazer uma viagem nova, repleta de emoções" 
(e posso dizer meus caros, que seu livro nos traz de fato tantas emoções e tão vagas promessas quanto nossa vida cotidiana)

 Vanessa Grzebieluka (Graduada em Letras , especialista em Educação Especial , Especialista em Educação Profissional Integrada a Educação Básica na modalidade Educação de Jovens e Adultos )


2 comentários:

  1. Parabéns Mi..abriu o e fechou 2012 em grande estilo.
    Saudade!!!
    Bjo

    ResponderExcluir
  2. Que orgulho! Demais, parabéns. Também espero ter a oportunidade de ler.

    Abração!

    ResponderExcluir


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)