segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Um susto

Durante muito tempo acreditei que um escritor era uma espécie de deus com poderes especiais. Sim. Na minha cabeça,   sujeitos que escreviam, não deviam comer, nem beber, nem defecar. Pagar contas, então?! Bah... isso deveria ser coisa de meros mortais. 
Um escritor não. 
Para mim, um escritor era uma figura imponente e importante, que deveria ficar reclusa em uma biblioteca gigantesca, com tapete fofo, máquina de escrever e cheiro de café, sem jamais ser incomodado. Afinal, alguém que criava seres e mundos tão fantásticos, deveria ter algum privilégio. 
Um dia, porém, me deparei com um escritor parananense de carne, osso e suor (grossas gotas que escorregavam da testa e escorriam pela face). Era o Domingos Pellegrini.
Com uma máquina fotográfica e um livro em punho, tentei falar com ele. Queria um retrato e um autógrafo. Não consegui. A fila, gigantesca,  impediu que eu me aproximasse. 
Anos mais tarde, quando já frequentava a universidade, conheci Miguel Sanches Neto. 
Caramba!  Meu professor de literatura era um deus, digo, um escritor. 
Mal sabia eu o que estava por vir.
Não muito tempo depois, uma manchete me fazia estremecer: Escritora pontagrossense promove tarde de autógrafos
Escritora pontagrossense. Escritora promove tarde de autógrafos. ES-CRI-TO-RA. 
A palavra ficou latejando na cabeça.
Os amigos e familiares não hesitaram e começaram logo a usar o título. A cada chamada, um susto.
Então era assim? Eu? Uma escritora?!
Poxa!
Dias destes, outro estremecimento. Meu editor, Tonho França, me surpreendeu com o seguinte comentário: "As páginas do livro dela nos devoram e encantam, com uma força e suavidade que faz de Michele, um nome forte na Literatura contemporânea".

Ai, meu Deus! Ainda nem me acostumei com o "ESCRITORA" e vem vocês com "NOME FORTE NA LITERATURA"...
Não sei se isso quer dizer alguma coisa. Aliás, as contas continuam chegando, eu continuo sentindo fome, sede, frio e levantado às seis da manhã para enfrentar turmas de adolescentes alvoroçados. 
A diferença é que agora tenho uma página no Facebook para divulgar meus escritos, pensamentos, livros e textos premiados em concursos.
Passa lá. Eu não mordo. https://www.facebook.com/Pupoescritora


3 comentários:

  1. hahahahhahahaha quanta honra, hein?! quanto orgulho!
    parabéns é o mínimo que posso te dizer!
    um beijo.

    ResponderExcluir
  2. Meu mais sincero PARABÉNS.
    Estive por tanto tempo "fora do ar" que nem me dei conta dessa sua realização.
    Tudo de melhor, Deusa.

    GRAAAAAAAAAAANDE abraço.

    ResponderExcluir


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)