quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Olho de peroba

Eu costumo ser uma pessoa amável. Não é difícil me encontrar praticando uma ou outra cortesia. Acho delicado e de bom tom utilizar a ampola de gentileza que carregamos em nosso DNA. 
Muito se tem discutido nas cadeiras universitárias sobre os benefícios desta prática, que não são poucos: sensação de bem estar, menor probabilidade de se entrar em depressão, facilidade para o desenvolvimento de atividades em grupo, além de gerar empatia e união entre as pessoas. 
Por acreditar nestes aspectos positivos, busco exercitá-los. Contudo, não é raro eu me sentir explorada.
Sim... porque na sociedade em que vivemos, até ser gentil gera problemas. É que as pessoas confundem gentileza com ingenuidade. Você dá a mão, elas puxam o braço...
Dia destes uma conhecida me ligou: "Michele, preciso de um favor seu." 
Mesmo antes de saber do que se tratava (isso sim é inocência!) me propus de bom grado a ajudá-la. Acontece que o favor era para um terceiro e se tratava da revisão de um texto de aproximadamente 50 páginas.
Tá. Até aí tudo bem. Aceitei porque o prazo para desempenhar a tarefa seria de no mínimo uma semana. Mas, na sexta-feira, à meia-noite, o sujeito enviou o material para o meu e-mail com uma nota: "preciso para segunda."
 P-R-E-C-I-S-O  P-A-R-A  S-E-G-U-N-D-A!!!!! 
Dá para acreditar, Brasil?!
Respondi que faria o obséquio (OBSÉQUIO, certo?), mas, obviamente, não para segunda!

Porr@. Já fiquei encucada.

Eis que ontem, também pela noite, recebo outra mensagem: "E aí, professora. Como vai a revisão dos textos?"

Deixa eu ver se entendi. Propus-me a realizar um FAVOR para um sujeito que não conheço. O `boneco` imagina que o favor será desempenhado durante o meu final de semana. Tendo em vista que isso, evidentemente, não aconteceu, me manda um e-mail exigindo o resultado.

Ou seja... é um tremendo filho da put@ de um cara de pau.
Senti vontade de mandá-lo para PQP, além de sugerir-lhe o pagamento digno pelo trabalho (R$4,00 por página - valor cobrado no mercado para revisão e formatação de apostilas/ livros- com acréscimo de 10% quando se trata de um prazo curto). 

Ah, faça-me o favor, viu... 

Vamos passar peroba nesta carinha.






10 comentários:

  1. Não!
    Gentileza gera Gentileza sim!
    Gente boba gera gente folgada sim!
    Michele, acho engraçado a nossa sociedade:
    Eu não vejo ninguém pedindo favores a médicos, arquitetos, veterinários, contadores etc, etc, etc,
    Mas para o Professor é sempre um favorzinho, um quebra o galho aí.
    Perdão pelo o que vou dizer:
    Porrrrrrrrraaaaa! O professor é um profissional cacete, não batalhou pra ser caridoso com a sua ferramenta de trabalho.
    Quatro reais ainda é pouco pra revisar uma lauda.
    Quanto custa a visita de um técnico em sua casa?
    Quem começou com isso foram estes cretinos que nunca deram o real valor a educação neste Pais que pra se ter uma merda de um bebedouro na escola tinha que se fazer festinha pra arrecadar fundos.
    Hoje o professor já não é respeitado por ninguém e ainda tem que fazer favor com o seu instrumento de trabalho.
    Não mesmo!
    Cacete, escrevi o que veio em minha cabeça de jerico. rs
    Ah! agora já escrevi rs rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo tem toda a razão! Ser gentil é uma coisa, ser idiota já é outra bem diferente. Além de desconhecido é um baita de um folgado. Eu não faria porra nenhuma. E ainda dava-lhe uma bela de uma bronca de um modo bem elegante (assim eu acho lindo!!)! hahaha
      Ah, faça-me o favor!

      Excluir
    2. Mi

      Vocês tem razão. Mas eu sou bobinha mesmo. Quero ajudar e acabo me lascando. Sempre.

      Quanto a bronca elegante: bahhhhhh... não domino! Ou sou bacana ou sou muito grossa, desconheço o meio termo! rsrs

      Beijos

      Excluir
    3. Concordo com teu ponto de vista, Paulo.

      Usei o texto para desbafar. Fiquei irritada. rsrs

      Bjs

      Excluir
  2. Uma vez eu tive um chefe que eu fui até ele com um problema: A cliente queria fazer uma coisa no sistema, mas nao queria pagar.
    Ai ele vai e me fala: Não se pede carona para taxista.

    Fessora você deveria ao saber que era para um terceiro ter cobrado, 8 reais por pagina.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei do ditado popular. Vou usar sempre.

      Bjs

      Excluir
  3. Realmente há muita gente assim neste mundo, sem noção alguma e realmente merecem um Óleo de peroba no meio da face :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É a única coisa que resolva para cara de pau, Lu. rsrs

      Bjs

      Excluir
  4. Michele, entendo perfeitamente a sua posição. Eu dou assessoria em informática e muitas vezes me pedem esse tipo de favor. Até o "pedir" não tem problema, mas o exigir e tirar a paciência da gente... Você tem toda a razão.
    Abração
    Manoel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma atitude que irrita, não é Manoel?!

      Um abraço

      Excluir


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)