domingo, 26 de agosto de 2012

Levava tudo ao pé-da-letra. Um dia se afogou com uma vírgula, tropeçou na interrogação e engoliu um travessão. Pronto. Estava armada a confusão! 

5 comentários:

  1. "confusões que só interrogam as devidas exclamações" ás vezes pergunto-me se alguém entenderá aquilo que escrevo... Um beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sombra

      Faço-me a mesma pergunta e chego a conclusão que basta sentir, para entender. :)

      Um beijo

      Excluir
  2. Inteligente e animada frase. Quanto ao soneto é fácil. Em primeiro lugar, os versos devem possuir a mesma métrica, ou seja, o mesmo número de sílabas poéticas. Uma sílaba poética é bem diferente de uma sílaba comum. É possível unir duas ou mais palavras em apenas uma sílaba poética. Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Onde se lê Rô, leia-se Djalma CMF. Respondi sem perceber pelo bolg de minha esposa, beijos menina.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Djalma

      Obrigado pela dica. Apesar de conhecer a estrutura, nunca consegui levar à cabo o soneto. Acho formal e sistematizado demais. Mas obrigado pela dica. Um abraço

      Excluir


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)