sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Eu sou você

Às vezes me canso de escrever sobre a vida, sobre os outros e sobre eu mesma. Nestes dias, resta apenas o desejo de expressão e um grande vazio. 
Quando escrevo, toco em feridas. Não só nas minhas, mas também nas dos que me leem. A cada palavra, sinto que sangro um pouquinho e os faço sangrar. Mas não pensem vocês que pretendo atingir alguém. Eu escrevo para curar minhas próprias dores, medos e inseguranças. 
Não me sinto a dona verdade, embora muitas vezes pareça taxativa. Eu apenas me dou ao direito de ser quem eu sou. 
E você, que me lê, quem é? É você mesmo ou somente a ideia que faço de você? 
Camões, certa vez disse que amamos a representação mental que fazemos das outras pessoas. Trocando em miúdos, vale dizer que eu sou eu e você é você, mas ao nos olharmos, analisarmos e julgarmos, estamos apenas nos projetando um no outro. 
Cuidado.Transforma-se o leitor no texto lido, por virtude de muito o interpretar. 

Um comentário:

  1. Parabéns pelos teus lindos textos poéticos.Meu abraço e um belo fim de semana.

    ResponderExcluir


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)