quarta-feira, 15 de agosto de 2012

De repente, eu não consigo ir adiante.

...E mesmo no dias bons eu sinto falta de algo quando repouso os sonhos no travesseiro. Há meses venho negando para mim mesma e gritando aos quatro ventos que isso não existe, que tudo não passa de uma abstratização, de coisa sem importância. Digo que posso viver sem, que não faz diferença. 
Nos momentos mais entusiasmados-  e não me entendam mal- eu repito o que ouvi por aí. Digo que o barato é uma boa amizade temperada com um pouco de sacanagem.
Mas no fundo, bem lá no fundo, eu espero por aquilo que o Caio Fernando chamava de "possibilidade de amor". 
É uma esperança sem vergonha, que um dia, por um mistério qualquer, alguém chegue, olhos nos meus olhos, e queira me descobrir. 
É uma confiança torta de que, em uma hora de descuido, minha mão encontre outra que me guie lentamente até aquilo que chamamos de realização amorosa.
Não tenho mais meus quinze anos, nem as palpitações, sonhos e ilusões do período. Contudo, fico sempre na expectativa de que possa outra vez entrar naquele estado de graça ridículo, em que a gente vê estrelas mesmos nos dias mais cinzentos.
Eu queria muito ter a quem querer bem. E alguém que me perguntasse, antes do sono vir, como foi o dia, o que teve de bom. Alguém que me oferecesse um carinho gratuito.
Mas como é que a gente faz para transformar desejo em realização?
Não me ensinaram. 
O que aprendi, desde menina, é esperar por uma patética fantasia matrimonial.
É pecado cansar de estar sozinha?
Não sei.
Porém, seguirei os dias poeirentos de agosto, trabalhando, estudando, correndo e com a sensação de "infeliz para sempre."
Vai ver acabo acostumando.






3 comentários:

  1. Eu queria muito ter a quem querer bem. E alguém que me perguntasse, antes do sono vir, como foi o dia, o que teve de bom. Alguém que me oferecesse um carinho gratuito.

    beijos

    ResponderExcluir
  2. A gente cansa, alguns com mais motivos que outros. Tenho quem me queira bem, o problema é querer mais bem a outro alguém que as vezes só me quer bem como a quem o quer a um irmão. Ficou confuso, sou confusa, mas te desejo não um final feliz, mas um começo maravilhoso, e que não haja final!

    ResponderExcluir
  3. Não é pecado não. Todo mundo quer alguém pra chamar de seu (mesmo que não seja bem assim). Te desejo sorte e realização do seu desejo com uma boa pessoa.

    ResponderExcluir


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)