terça-feira, 26 de junho de 2012

Mi(n)to

Às vezes eu uso a primeira do singular para falar da terceira do plural.
Carrego em mim todas as dores do mundo... até as que não senti. 

5 comentários:

  1. "Finge tão completamente, que chega a fingir que é dor, a dor que deveras sente..."

    Pessoa te traduz demais.
    Beijo, poetisa! *.*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E eu nunca entendi os versos de Pessoa acima colacionados por Mirella.

      Na minha cabeça, sempre fez mais sentido se fosse "chega a fingir que é dor, a dor que sequer sente". Ou "chega a fingir que não é dor, a dor que deveras sente".

      Alguém me explica? haha.

      Excluir
  2. Sou dessas. Que trocam "tenho em mim todos os sonhos do mundo" por "tenho em mim todas as dores do mundo"...

    Lembro de "A vida secreta das abelhas" e me enxergo um pouco como May Boatwright.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Te entendo perfeitamente, Michele.

    Au revoir,

    Nicera

    ResponderExcluir


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)