domingo, 27 de maio de 2012

A vida sempre continua...

Consolo na praia- por Michele Pupo


Olha, Drummond: não vou chorar.
Ganhei a infância.
Aproveitei a mocidade
e ainda tenho a vida toda para desfrutar.


Conquistei  novos amigos,
Passei por mares nunca dantes navegados,
não tenho carro, casa, nem tostão furado,
mas ao mundo já deixei um legado.


Algumas palavras me machucaram, é certo.
Mas e as vozes mansas e as orações 
dos que com afeição me cercaram?


Somando tudo, Drummond
dá para manter um sorriso largo
ainda que as injustiças e o mundo
caminhem por um trajeto errado.


O que me incomoda, meu amigo,
 é que o primeiro amor passou,
o segundo amor passou,
o terceiro amor passou...


Outros virão?
O coração continua, Drummond?
Será?
Guardei o humour e um protesto tímido.


Mas olha, não me console.
Não vou precipitar-me de vez nas águas.
Nem jogar meu corpo branco na areia.
Porque a vida, amigo, ela sempre continua.


Referência direta ao poema Consolo na praia, de Drummond.

9 comentários:

  1. Eu acho lindo o ''continuar'' da vida..

    ResponderExcluir
  2. Adorei ! e o novo formato também ^^

    ResponderExcluir
  3. Esse "continuar" é nos move, sempre!

    Bom domingo, minha amiga!

    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. faltou um "QUE" ali...hahaha

      "que nos move"

      Excluir
    2. Vanessa

      O que seria da vida sem uma utopia?

      :)

      Bjs

      Excluir
  4. Poema atemporal... e serve pra todo mundo!
    Lindo demais!

    ResponderExcluir


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)