terça-feira, 15 de maio de 2012

Teus olhos

(Michele Pupo)

Teus olhos me roubam 
o  último suspiro
e vejo neles a doçura
que não encontrei
nos teus braços.

Deixe que o vento corra
e meu medo se dissolva.
Venha a mim 
galopando em liberdade,
enquanto eu  mergulho
no brilho que vi em teus olhos. 

Talvez me roubarás o frio de maio
e levarás o meu sossego,
e eu me entregarei em fogo
em pétalas, em carne viva
para que continues me olhando
a noite, o mês, o inverno inteiro.

Quero os teus grandes olhos fixos!
Há neles um pequeno deslumbramento
que espreita-me em relâmpagos.
Teus olhos enlaçam minha cintura
e envolvem-me de tal forma, 
como duas asas firmes. 

Dá-me teu olhos em labaredas
e os meus se refletirão nos teus
para que por entre o fogo 
e espasmos que nos unem
possamos manter desejo e ternura.

7 comentários:

  1. Ah! como a natureza é cruel...
    Quem dera alguém sentisse tudo isto por mim.
    Ah, quem dera
    quem dera...
    seria feliz por toda a vida
    mesmo que em sonho
    morreria mil vezes
    morreia mil vezes mil
    morreria sim
    morreria todos os dias
    pra poder renascer mil vezes
    e ter um amor assim
    Ah! como a natureza é cruel
    como é cruel a natureza
    que me fez antes de ti
    Ah! renasceria todas as vezes
    quando fizeste um poema assim.
    Ah! como é cruel este mundo
    você veio depois de mim
    muito depois
    muito depois de mim
    ah.... quem dera
    ter um amor assim.

    Um beijo grande

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perdidos no tempo e no espaço
      seguimos por trajetos isolados.
      Cheguei tarde demais
      para os planos astrais...

      O relógio impiedoso marca
      um atraso medieval.
      Duas almas, duas gerações
      são a causa deste mal.

      A natureza que desconhece
      o que é certo, o que é passado,
      desenhou para nós dois
      um caminho desencontrado.

      Eu serei daquele que me ame
      Tu serás de quem amar
      e juntos faremos versos
      que no ar hão de se juntar.

      (Michele Pupo)


      Óh! Que lindo, Paulo! Fazemos um bom dueto poético!
      Adorei o poema. Gostei tanto que respondi.
      Nasceu agora, entre o almoço e a labuta.

      Um beijo

      Excluir
  2. Em tempo: ainda estava mexendo no comentário quando foi publicado sem a minha permissão. Estava curtindo e trabalhando, mexendo na concordância e pummmmmmmmmmmmmm publicado.
    Mas gostei de fazer um comentário-poema, respondendo o seu poema.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  3. Fiquei "babando, Michele.
    É lindo demais!
    "Os teus olhos*¨¨ "Venha a mim... enquanto eu mergulho no brilho que vi em teus olhos"...Delícia!
    beijinho, fica com Deus.
    Mery*

    ResponderExcluir
  4. Que lindo...
    Um poema muito romântico e inspirador...
    E também inspirador o poema do Paulo. Belíssimas palavras...

    Beijinhos!!♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mari

      Veio do coração. Espero que chegue aos demais corações também.

      Quanto ao Paulo, é um poeta de mão cheia. Admiro muito.

      Bjs

      Excluir


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)