terça-feira, 8 de maio de 2012

Conto de fodas

Era uma vez uma menina que acreditava em tudo que ouvia. Ela era tão ingênua, tão mansa e tão bobinha que era facilmente enganada amada por todos os mancebos que a encontravam.
Já havia perdido as contas de quantas vezes havia recebido declarações grandiloquentes de amor... O roteiro era sempre o mesmo: eles a conheciam, passavam horas e horas filosofando sobre os mistérios da vida e sobre como achavam encantador o seu ar de donzela doce e delicada. Enviavam-lhe palavrinhas e poeminhas, elogiavam seus olhos misteriosos de cigana e suas bochechas rubras como cerejas.
Passado algum tempo, contudo, as lisonjas iam assumindo um outro teor e se antes predominava a formosura da sua alma, agora o que contava era a espessura de suas coxas. 
Ah... como duravam pouco as aventuras amorosas desta moça! E como lhe doíam nos dedos os espinhos que as rosas deixavam...
Era de dar pena o quanto ela sofria e silenciava cada vez que um destes jovens lhe atingia o coração...
E foi assim que, de tanto levar pancada do amor, a donzela se transformou numa fria e calculista mulher. 
Nada mais lhe chegava ao espírito. Palavra nenhuma lhe convencia dos sentimentos de ninguém. 
Seu coração, sempre tão cheio de doçura e encantamento, já não batia. Tudo lhe parecia tão comum, tão pronto, tão repetitivo... até que um dia ela encontrou um moço, que já não era tão moço assim e resolveu fazer com ele o que sempre fizeram com ela: transformou o conto de fadas, num caliente conto de fodas.

E vai vivendo...
Dizem as más línguas que ela não guarda das outras vidas qualquer recordação.



15 comentários:

  1. Eu, como boa pisciana que sou, gosto dos dois tipos de contos. Em igual intensidade.

    Mi, vc já leu Do outro lado da meia-noite, de Sidney Sheldon? Se um dia tiver a oportunidade, leia... Vc acaba de resumir a história do livro! É ótimo! hahahaha
    Beijos, Mi... boa noite!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mi

      Acontece que eles nunca ocorrem simultaneamente!!!! kkkkkkk
      Nunca li o livro citado. Vou pesquisar.

      Beijos

      Excluir
  2. Eu conheço uma histórinha parecida com essa rs rs
    Um beijo grande

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Qualquer semelhança, é mera coincidência Paulo.

      rsrs

      Bjs

      Excluir
  3. Nunca tinha ouvido falar da expressao...
    Conto de fodas...
    praticamente um conto erotico... :P

    ResponderExcluir
  4. É...não podemos viver os dois contos ao memso tempo...ou é um, ou outro! Sinceramente, não sei qual o melhor...

    Beijinhos!!♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dificilmente os dois acontecem ao mesmo tempo... Concordo contigo, Mari.

      Bjs

      Excluir
  5. Mari, dá sim pra viver os dois ao mesmo tempo. Digo até que o conto romântico não vive sem o outro. Ao menos pra mim. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mi

      Dá? Então apresenta o moço para mim...
      rsrs


      Bjs

      Excluir
  6. Mari, dá sim pra viver os dois ao mesmo tempo. Digo até que o conto romântico não vive sem o outro. Ao menos pra mim. :)

    ResponderExcluir
  7. É, Mirella, olhando por este ângulo, concordo com vc!!

    ResponderExcluir
  8. Resumo do post: O amor é foda!

    =)

    Adoro você e sua genialidade, Pê.

    ResponderExcluir
  9. acho que daria um divertido aforismo, estilo Martha Medeiros:

    no começo um conto de fadas
    no final um conto de fodas

    ResponderExcluir
  10. ou:

    queria um conto de fadas
    ganhei um conto de fodas

    ou:

    menina, um conto de fadas
    mulher, um conto de fodas

    várias variáveis...
    adoro trocadilhos. se forem lascivos então...

    ResponderExcluir


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)