domingo, 22 de abril de 2012

Brasil:um país de tolos


            Segundo pesquisas recentes, apenas 15% dos brasileiros vão ao cinema, 11% leem com frequência e apenas 2% vão ao Teatro. Somente 8% da população frequentam museus. E só 7% vão a uma exposição de arte. (Dados do Ministério da Cultura em 2010)
            O mais assustador: O que impede estas pessoas de participarem ativamente das manifestações culturais NÃO é o preço do ingresso, mas a falta de interesse. 
            A meu ver, estes dados refletem a situação educacional do nosso país.  Enquanto houver um alto escalão (lá em Brasília tem vários) interessadíssimo em manter a alienação do povo, a ignorância continuará se multiplicando e sendo repassada de geração a geração.
            Vale-alimentação, vale-gás e vale-transporte não tornam ninguém mais consciente, crítico e pensante, senhora presidente.
            Fica claro para mim que o “governo dá o peixe, mas não ensina a pescar”. A preocupação do poder público é voltada para a satisfação imediata de um grupo de "desamparados" (que hoje é composto por grande parte da população) cujo objetivo principal é mascarar a desigualdade social.
            A meu ver, o Brasil precisa de estratégias de políticas sociais que enxergue um futuro mais distante, em vez de objetivos eleitoreiros imediatos.
            O Bolsa Família atende mais de 13 milhões de famílias em todo território nacional (Vocês podem confirmar no próprio site do governo).Em alguns municípios, como é o caso de Ponto Novo, na Bahia, pode-se dizer que 70% da população conta com a mesada do governo.
            Repito: "dá-se o peixe (as bolsas), mas não se ensina a pescar (não educa, não instrui, não favorece a cultura).
            A depender de mim, todos os que estiverem por perto terão os olhos bem abertos para as artimanhas políticas que nos rodeiam. Meus alunos estão sendo orientados e esclarecidos. Todos os professores brasileiros deveriam fazer o mesmo!


Meu ingresso de ontem, de uma peça interessantíssima baseada na obra de Dostoiévski, com um ator talentoso e uma interpretação impecável. Quantos na platéia? No máximo uns 15. Vergonhoso!


#Fica a dica para a reflexão de domingo.

10 comentários:

  1. Deixo aqui um vídeo para xs leitorxs do espaço: http://vimeo.com/40411264

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fred

      Conteúdo conferido. Admiro-te e sou sua fã. Os vídeos, com teus poemas, ficaram fantásticos.

      Um abraço

      Excluir
  2. Michele, querida, é a mais pura verdade.
    Sou contra todos esse incentivos que o governo dá, mas pelo menos e pelos dados, o Brasil saiu da situação de extrema miséria, mas um povo sem cultura é um povo caolho.
    Amei o post , bela conscientização.
    Bjokas e bom domingo!
    Sheyla.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sheyla

      Estamos caminhando a passos de formiga. Quem sabe um dia chegamos lá... não podemos perder a esperança.

      :)

      Um abraço

      Excluir
  3. De um modo geral, diversão é apenas se embebedar o dia inteiro até cair, som num volume insuportável, que não dá pra ninguém conversar. ......Livros, cinema, nem pensar. De que modo esse país poderá se desenvolver, com o povo sem cultura, sem educação? Fica difícil. Abraços. Carlos Medeiros....http://grandeonda.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlos

      Realmente as coisas caminham na direção contrária da cultura e educação.
      Mas, se cada um de nós fizermos a nossa parte, quem sabe o quadro não se reverte?

      Um abraço

      Excluir
  4. Concordo totalmente com você Michele.

    Beijo meu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fátima

      Uma semana maravilhosa para vc!

      Beijos

      Excluir
  5. O Brasil que e um pais de todos, ha muito ja naoe o meu.
    E onde estou tenho acesso a e interesse em cultura!

    Pena essa nao ser a realidade da maioria do meu povo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Inaie

      É uma verdadeira lástima!

      Uma boa semana

      Excluir


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)