terça-feira, 6 de março de 2012

Pensamentos imperfeitos...

Não devia ter relido aqueles textos.
Tudo o que senti quando escrevi voltou feito torrente de água fria, me fazendo tremer e me sentir outra vez só.
Depois de tanto tempo, tantas negações e tantas tormentas, ainda estou aqui. 
Ainda sou a mesma. 
Meu coração, filho rebelde, insiste em pular. Até quando? 
Quem irá saber...
Chega a ser engraçado... quando eu penso que acabou, que aquilo já não tem mais importância, lá vem uma pontada para me lembrar de que o sentimento ainda pulsa, de que o amor ainda existe.
Queira Deus que um dia isto tenha fim! Ou, ao menos, que se aquiete e durma dentro de mim. Não seria muito mais fácil se o sentimento ficasse quietinho dentro da gente? 
Seria mais ou menos assim: a gente ama, está pronto e acabado. Não precisaríamos da recíproca. Nem das autoafirmações. Mas a vida é cruel... o Amor, meus caros, é um vilão que aparece nos momentos mais impróprios.

3 comentários:

  1. Uma vez meu primo que estava numa fossa me disse:
    -Saudade de quando eu nao precisava de outra pessoa para me sentir feliz...

    ResponderExcluir
  2. Cristiano

    Na verdade não se trata de infelicidade, mas de amor em desuso.

    :)

    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Espera o amor se aquietar no seu coração;). Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)