quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

A vida é dura para quem é mole!

Tenho pânico daquelas pessoas que passam a vida reclamando de tudo: da família, dos amigos, do trabalho, da falta de tempo, da solidão dos nativos mãoris lá na Nova Zelândia...
Caramba! Se há tanta insatisfação, porque não fazem algo para mudar?
Nunca fui do tipo que espera que as coisas aconteçam. 
Nasci em uma família humilde. Aos 14 anos, para bancar meus pequenos prazeres (perfumes, roupas, shampoo, cremes), arrumei emprego como babá. 
Estudava pela manhã ( e sem querer parecer esnobe: era uma da melhores alunas da classe!), limpava a minha casa, passava roupa e lavava louça a tarde (pois minha mãe sempre trabalhou fora) e à noite, das 18 às 22 horas, cuidava de um garoto hiperativo.
Um ano depois, uma vizinha professora, percebendo a minha habilidade no trato com as crianças, resolveu me contratar como auxiliar na escola da qual era proprietária. Passei a estudar pela manhã, trabalhar a tarde no colégio e no período noturno cuidar da filha dela.
Com honra ao mérito concluí o Ensino Médio. Obtive uma promoção na escola: subi para o cargo de secretária , onde fiquei durante 5 anos. 
Incentivos vieram e aos 20 anos prestei vestibular para Letras. Com algum esforço, passei. 
Foram 4 longos anos de luta, lágrimas e dedicação. 
Por incompatibilidade de horário, fui obrigada a pedir demissão na escola, mas como precisava de grana para me manter na facul, encontrei um emprego de meio período em um hospital. 
Aí é que a coisa apertou! Trabalhava pela manhã, fazia estágio pela tarde e ia para a Universidade à noite. Cansei de chegar em casa às 23 horas e ficar até às 2 ou 3 da manhã estudando. No outro dia, às 6, pulava da cama e ia trabalhar.
No dia da formatura, chorei igual criança!
Depois disso, fiz inúmeros cursos, pós-graduação, cursei várias disciplinas no Mestrado, sempre adequando o horário de estudo com o do trabalho.
Hoje, tenho 26 anos. Mantenho-me com dois empregos que me garantem um salário razoável. Em contra-turno, desenvolvo diversos projetos nos Colégios em que atuo. Participo de inúmeros concursos literários. Faço cursos de atualização frequentemente. Viajo. Tenho amigos. Saio aos finais de semana. Contribuo nos afazeres domésticos. 
Só no ano passado, realizei três grandes sonhos: eliminar 16 quilos, conhecer dois novos países e escrever um livro. 

Mas e o que quero dizer com tudo isso? 
Bem, a meu ver, só é infeliz, quem é mole. Quem não tem coragem de arriscar, de sonhar e de lutar para si um futuro digno.
Se não está contente com seu trabalho, ora, vire a mesa. Vá estudar, escolher algo que lhe faça feliz, que lhe agrade.
Se o casamento não vai bem, reveja seus conceitos de relacionamento. 
Os amigos não lhe parecem bons o suficiente? Olhe para si mesmo e veja se não é reflexo da suas próprias atitudes.
O que não pode é passar a vida se queixando de sua infelicidade quando você não faz nada para mudar. 
Sonhe, faça planos, projete um futuro. Não se permita morrer lentamente!
Afinal de contas, a vida é dura só para quem é mole!!!!
Se está infeliz, nego, vá à luta!!!!!
_____________________ xx__________________


Boas vindas à:

  • Vitalina de Assis
  • Aline Santos
  • Djalma CMF
  • Nanda Leo
  • Lara
  • Sheyla- DM
  • Eng-AHmed
  • Mymoolog
Sintam-se em casa. Comentem, critiquem, brinquem. O blogue é para isso mesmo!

12 comentários:

  1. Fui sacudida pelo seu texto!

    -ACORDA! - Ele praticamente gritou para mim.

    Não que eu seja "reclamona", nem que viva insatisfeita, pelo contrário, as vezes o pouco que aparece me satisfaz. Fico lamentando coisas tristes e lá se vão duas, três horas de pensamento fixo e nenhuma atitude para mudar a situação.

    Adorei conhecer um pouco da sua vida. E realmente sem LUTA o máximo que podemos fazer é sentar e ouvir historias daqueles que tiveram coragem de "arriscar, de sonhar e de lutar para si um futuro digno".

    Parabéns por todas as conquistas e pelo blogue que é sempre um show!!

    Bjo,bjo!!

    Camila Gomes

    ResponderExcluir
  2. Que lindo, Mi. Tu és uma guerreira, uma grande lutadora! Uma mulher forte e do bem. E foi por isso que o meu coração te escolheu como amiga.

    Te admiro. Muito.

    ResponderExcluir
  3. Adorei o texto.
    E é assim mesmo. Sem luta não se consegue nada. Eu sei bem disso. Pra fazer o curso que queria tive que sair da minha cidade, largar família, amigos e emprego. Vim pra uma cidade grande (que eu não gosto), morar em residência da faculdade e me virar sozinha. Mas apesar de tudo sei que foi a melhor coisa que fiz. Porque estou batalhando por uma coisa que quero muito.
    Seu texto me fez pensar muito nisso.
    Bjs !

    ResponderExcluir
  4. Camila

    Que bom que consegui mexer com você e com teu projeto de vida. :)
    Acredito muito em motivação pessoal e a vida é para quem luta e confia. :)

    Um beijão

    ResponderExcluir
  5. Mi

    Obrigado. De certa forma, somos parecidas. Cada uma lutando a seu modo, né?

    Beijão

    ResponderExcluir
  6. Pri

    Quem não arrisca, não conquista! Gosto de ouvir histórias assim, que motivam! :)

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi Michele..

    Eu não conheço nenhuma cortador de cana, lavrador, ou qualquer pessoa que tenha o dia totalmente ocupado sofrer de depressão, de infelicidade... A falta do que fazer, o ócio trazem esses problemas...

    Bom seu texto!

    ResponderExcluir
  8. Totalmente de acordo. Até acho que todos nós temos direito a nosso momento de reclamar/sentar/chorar, mas isso não pode durar muito. Se algo tá errado é preciso sentar e traçar metas concretas para sair daquela situação.

    Eu já virei a mesa tantas vezes que chego a me espantar comigo mesma. Chato foi quando virei a mesa e a coisas ao invés de melhorar, pioraram... rsrs. Por isso hoje em dia sou mais cautelosa, mas se estou incomodada com algo, certamente vou fazer algo para sair daquela situação.

    Beijocas

    ResponderExcluir
  9. Luana

    Verdade! Tem um ditado popular que diz: "a formiga trabalhadeira não tem tempo para a tristeza!".
    Estou de acordo. :)
    Que bom que veio me visitar.

    Um abração

    ResponderExcluir
  10. Dama

    Este é o risco que corremos ao tentar mudar as coisas. Meu chefe diz sempre e eu até faço piada com ele, mas a gente só tem duas respostas da vida: sim ou não. Não custa tentar, né? :)

    Um abraço

    ResponderExcluir
  11. Michele, mulher, arrazasse! Linda história de vida, fico tão feliz qdo sei de histórias assim de suce$$o. Eu dei uma guinada (ainda estou dando) na minha vida, estudando pra concursos, fiz faculdade aos 40 anos, me formei, continuo estudando (ainda não fui chamada para nenhum), tenho uma filha, não quero parar e quero alçar voos ainda mais altos.
    Já me sinto bem aqui no seu cantinho mágico.
    Belo final de semana, bjoss
    Sheyla.

    ResponderExcluir
  12. Sheyla

    Obrigado. Fico contente por conhecer sua história também! Desejo sucesso, ânimo e força! Não desista da luta. :)

    Um abraço

    ResponderExcluir


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)