terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Punhalada


Há dias me transformei em uma torneira quebrada. Já não posso controlar o fluxo morno e dolorido das lágrimas. 
Choro pelo tempo que me levaram. Choro pelos rasgos, pelas dores sem remédio.
Não se pode consertar algo sem que o objeto perca parte da qualidade primitiva. Não é possível pisotear um coração e esperar que ele retorne ao seu estado natural.
Não suporto tua presença. Não tolero tua ausência.
Dizem-me que vai passar, que estas pontadas também acabam. Mas a culpada sou eu mesma, que tendo o coração como bússola, entreguei-o nas mãos de quem não tinha pretensão de ficar com ele. 
Deixei-me perder e agora tenho que andar pelos cantos, escondendo os soluços.
Queira Deus que eu nunca machuque as pessoas que me amarem. Porque dói, meu Deus. Como dói.

22 comentários:

  1. Michele, dói, dói muito. Eu sei.
    Mas passa. Pq tudo passa, mesmo deixando marcas.
    Um beijo de boa noite

    ResponderExcluir
  2. "Não suporto tua presença.
    Não tolero tua ausência."

    [doi muito]

    ;(

    http://www.youtube.com/watch?v=DrYYeo-_PTY

    fica com Deus

    ResponderExcluir
  3. Todos dizem que passam, e quem já passou por essa situação tb garante que passa. Sou daquelas q "gosta" de viver o luto para ter certeza de tudo o que aconteceu e depois seguir em frente.
    Olha, te achei no blog de uma conhecida, mas por problemas pessoais o meu é só para convidados, queria muito q vc conhecesse meu cantinho, me manda seu mail para o meu e-mail para eu te add, ok? soraiapbarros@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  4. Ai, não gostei...

    Espero que seja apenas o teu "eu lírico".

    :s

    ResponderExcluir
  5. Ai de mim que sou romântico
    Ai de mim que sou intenso e me entrego totalmente ao amor
    Ai de mim que tenho por Deus o amor sensual
    Mas mais pobre aquele que nunca amou nessa vida

    Mi, vai passar, sempre passa e você vai se realizar no amor. Pode ter certeza.

    Adorei seu texto, apesar dos pesares.

    PS.: Sou um pessimista nato, se digo isso é porque constatei que sempre há mulher/homem bacana que nos amará. Eu estou experimentando isso agora.

    Beijos...

    ResponderExcluir
  6. Mi, esse teu post disse muito sobre como me senti há um tempinho...e ainda sofro com uma gotinha que insiste em ir e voltar e sair de mim...
    Dói...

    ResponderExcluir
  7. Rodrigo Tomé me emocionou. To boba hoje.
    Que lindo, Rodrigo.

    *.*

    ResponderExcluir
  8. Estamos no mesmo barco.

    "Dói. Se me perguntarem o que acontece, só saberei responder isso: dói. Se me perguntarem onde é a dor, ainda assim só responderei: dói." Caio Fernando Abreu

    ResponderExcluir
  9. Margoh

    Ouvi a canção. Obrigado.

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Sol

    Oxê... mas tem sentimento que não acaba nunca... :(
    Gostei muito da sua visita. Já enviei meu e-mail para adesão ao blogue.
    Obrigado pelo conselho.

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Mirella

    Bem que podia ser, né? :(

    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Vanessa

    :(

    Hoje mando a tua cartinha. :)

    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Rodrigo

    Não esperava pelo comentário e me alegrei com ele.
    Obrigado pelo carinho e atenção.
    Fico feliz por você, pelas novas sensações e experiências. Parodiando o poeta, que seja eterno o tempo que durar. Que dure para sempre.

    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Carol
    Queima em carne viva. :(

    Obrigado pelas palavras e visita.

    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Mirella

    Não é toa que dedico um poema a ele em meu livro.
    Gosto muito do Rodrigo.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  16. Nicera

    Gosto deste trecho do Caio. De certa forma, sou influenciada pelos escritos dele. :)

    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Imagino a sua dor.
    Desconheço uma dor mais intensa que essa. Infelizmente já senti algumas vezes. E sei que vai parecer clichê e que outras pessoas já devem ter te dito isso, mas vai passar viu Mi. Pode não ser hoje nem amanhã, e pode não ser de uma hora pra outra. Com o tempo ela vai se abrandando até que você só irá senti-la quando pensar nela. E um dia já terá passado completamente.

    Fique bem!
    Bjs !!

    ResponderExcluir
  18. Ama-se com facilidade surpreendente e desama-se com uma assustadora vagareza, Michele. Inventamos o amor e agora temos de conviver com as tristezas que ele -por vezes - nos traz.
    Nem tudo são flores e nem todas as flores são bonitas, mas a certeza é que como diria aquele pequeno rapaz português: "tu passa, tudo passará".
    Beijos e parabéns pelo texto.

    ResponderExcluir
  19. Pri


    Que assim seja! Obrigado pelo carinho e atenção!
    Você sempre me deixa feliz. :)

    Um beijo

    ResponderExcluir
  20. Ricardo

    Você disse uma verdade dolorida:

    "Ama-se com facilidade surpreendente e desama-se com uma assustadora vagareza".

    Se você encontrar por aí a pessoa que inventou o amor, pede à ela, por gentileza, que faça o favor de desinventar? :P


    Beijos, meu novo amigo.
    Senti sua falta aqui.

    ResponderExcluir


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)