sábado, 18 de fevereiro de 2012

Luz, cor e paz

Há dias venho me preparando, mas só ontem tomei coragem. Arrumei as malas. 
Mas antes disso, limpei meu armários. Coloquei na lixeira tudo o que já não me servia mais: velhos papéis, camisetas antigas, fotos amareladas pelo tempo e até mesmo um amor amolambado, eu joguei. Porque os amores, assim como as roupas, um dia também ficam apertados. Quando se vê, a blusa não entra, a calça não passa dos quadris... De repente, a admiração virou desapreço e o que antes chamávamos de minha "peça preferida", agora é só mais um pedaço de pano.
Confesso que não foi muito fácil livrar-me de algumas... mas, cheirando-as, percebi que continham o pesado bolor de coisas que perderam sua importância há muito tempo.
Ao terminar a faxina, a sensação de perda já não era tão sufocante. Sentei e esperei que o lixeiro levasse as sacolas com os trapos. 
Lentamente fui tomada por um sentimento de paz, luz e cor...
Já não serei assombrada pelas lembranças. Já não assombrarei mais ninguém.


Pode pagar para ver.

8 comentários:

  1. te entendo tanto!

    [essa musica complementa
    http://www.youtube.com/watch?v=cui6ioOIeiM]

    Te amo, filhoka linda.

    Bóra ali desaguar no mar??

    ResponderExcluir
  2. Querida amiga

    O melhor que podemos
    fazer por um amor
    que terminou,
    é deixá-lo ir...


    Que sempre existam
    sonhos a habitar teu coração.

    ResponderExcluir
  3. oi vim te desejar bom fim de semana e bom Carnaval li seu poste depois passarei para comentar amei teu espaço beijos

    ResponderExcluir
  4. Quando o bolor chega, é melhor mandar embora,rs. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  5. Margoh

    Passouuuuuuuuuuu!
    Graças a Deus.

    Um beijo

    ResponderExcluir
  6. Aluisio

    Está dado o recado! ;)

    Um beijo

    ResponderExcluir
  7. Anita

    Obrigado! Que o seu seja abençoado também!

    Um beijo

    ResponderExcluir


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)