domingo, 5 de fevereiro de 2012

Constatação


Dias destes ouvi que para a mesma quantidade de amor que nutrimos por alguém há outra  proporcional de ódio reprimido.


Faça as contas aí, mané.

12 comentários:

  1. Já ouvi falar nisso, não é o amor que eu acho legal, mas como existem várias formas de amar, a gente escolhe o que é melhor. Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  2. Ando amando pouco. Será que ando odiando pouco também? rsrs

    ResponderExcluir
  3. Meu jesuuis cristinho esta menina depois q entrou para a lista vip dos escritores esta cada dia mais impossivel!!!![!e me mata de rir.]

    te amo filhota

    ResponderExcluir
  4. Yayá

    Tem a ver com uma representação do princípio da dualidade de yin e yang.
    Segundo este princípio, duas forças complementares compõem tudo que existe, e do equilíbrio dinâmico entre elas surge todo movimento e mutação.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  5. Dama

    Eu como sou toda intensa, a coisa não é pequena!!!! haha

    Um beijo

    ResponderExcluir
  6. Margoh

    haha

    Mas hoje não é graça, não! É rancor no coração, mesmo! rs


    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Se era amor, poderia virar ódio?

    Bjs!

    ResponderExcluir
  8. Pode até ser, mas eu acho triste pensar dessa forma. Prefiro pensar que para cada pessoa sentimos aquilo que ela merece.
    As vezes não, mas aí é outra história. Rsrsr

    ResponderExcluir
  9. Rick

    Segundo os estudiosos, não vira. Os sentimentos coexistem. Um reprime o outro. Isso explica os casos em que um amor virá caso de polícia: após anos juntos um dos indivíduos assassina o parceiro.
    A ciência explica.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  10. Pri

    Se eu sentisse o que as pessoas merecem, teria muita gente em situação complicada... rsrs

    Beijos

    ResponderExcluir


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)