sábado, 28 de janeiro de 2012

Sobre finais

Nunca gostei de velórios . 
Entrar em contato com o ponto final, com um corpo imóvel e malcheiroso, mergulhar em um lago escuro, abafado e cheio de flores é lembrar que um dia todos iremos apodrecer e sumir para todo o sempre.
E isso é desesperador!
Toda vez que sou submetida a uma situação como esta, travo uma luta aguda e sofrida com o cadáver. 
O silêncio que se impõe em volta do caixão, as velas e lágrimas espalhando-se pelo ambiente revelam os segredos da morte e isso me apavora!
Eu gosto da vida, do movimento, da pulsação. Eu gosto de cores, de sonhos, de sentimento...
Deve ser por isso que os finais, de qualquer espécie, me assustam. Deve ser por isso que me recuso a me despedir de quem quer que seja, ainda que velar o corpo seja muito mais doloroso.
Acordei com a presença inquietante de um falecido. 
Olho pela janela e lá fora, o  céu azul e o sol brilhante insistem em gritar que a vida, apesar do defunto, continua...
Estou em desvantagem... mas quero acreditar que outros dias virão... e que chegará àquele em que já não me lembrarei mais dos que se foram...

16 comentários:

  1. Olá!vc já está sabendo da reabertura do site Quicce? Nós estamos de volta e resolvemos chamar os melhores blogues para nos visitar e opinar no nosso novo espaço. Aproveito a visita para lhe convidar a participar da Promoção de reabertura do site Quicce! http://www.quicce.com Não perca! Aguardo sua visita.bj

    ResponderExcluir
  2. Olá amiga, q bom te ler outra vez, saudades*...
    Eu sou ao contrário de você, quero ver para mais fácil esquecer; fiquei assim ... gosto de me despedir dos mortos, isso me acalma, não sei porquê; beijão.

    ResponderExcluir
  3. Michele,
    tenho um amigo que diz: na única coisa que acredito é na morte. ´
    é a única coisa certa que todos nós temos. porque será que não somos educados a aceitar este facto e a conviver com ele de uma forma saudável?seria tudo tão + fácil...
    beijo,

    ResponderExcluir
  4. Mery

    Que interessante, Mery... Eu nunca gostei. Quando posso, evito participar até do enterro.

    Me dá uma sensação ruim... :(

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Ema

    É a única coisa certa mesmo...
    Acho a morte tão triste.
    :(

    Um abraço

    ResponderExcluir
  6. [as vezes o "falecido" tem 7 vidas
    e volta só pra contrariar ...náo é?? rs


    beijo

    ResponderExcluir
  7. Michele,
    A morte não é o fim. Mas, que é triste nos despedir de quem amamos, isso é.
    Gostei de seu blog e já virei seguidora, se quiser conhecer o meu, é ó chegar:
    http://blogdmulheres.blogspot.com

    Um ótimo domingo, bjos

    ResponderExcluir
  8. Michele, dar a mão ao próximo é estender a mão à Deus.Um abraço, Yayá.

    ResponderExcluir
  9. Margoh

    kkkkkkkk
    Você captou a mensagem! Isso mesmo!!! rs


    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Sheyla

    Não sei se é ou não o fim, mas é muito triste. :(

    Obrigado pela visita. Volte sempre.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  11. Odeio enterros! Fui a uns dois na minha vida, porque não tinha como escapar. Mas acho que nem dos meus pais vou, se for o caso. Gosto de lembrar das pessoas vivas e não daquele jeito que fica lá no caixão.

    Beijocas e obrigada pela visita!

    ResponderExcluir
  12. Dama de Cinza

    Enterros são tristes, malcheirosos e desesperadores!

    Um beijo

    ResponderExcluir
  13. este texto também me tocou bastante. Confessional e literário. Muito bonito.

    ResponderExcluir
  14. Marcio

    Obrigado. Fico feliz com o seu aval.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  15. "Acordei com a presença inquietante de um falecido."

    As vezes sinto a mesma coisa... Depois de momentos de calmaria, a saudade e a lembrança de alguém que fez a diferença batem forte...

    É phoda!

    ResponderExcluir


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)