quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Pensamentos proibidos

Gosto quando me deixa louca,
quando tira a minha roupa,
toca minha boca,
puxa meu cabelo.
Gosto de tê-lo por inteiro
peito nu em pelo,
no quarto, na sala ou no banheiro.

Gosto dos gemidos e sussurros
do amor proibido, no escuro.
Gosto de repousar em seu braços,
soluçar suspiros e espasmos,
lamber e morder suas orelhas
soletrando coisas obscenas.

Gosto do cansaço
do agradável mormaço
do corpo febril
do sorriso  infantil.
Gosto do sexo,
do que não tem nexo,
de deixá-lo perplexo.

Gosto destas noites doidas
de mãos correndo afoitas
e pensamento ecoando ligeiro.
Gosto quando rompe violento,
quanto toca-me ao relento,
quando deixa em mim teu cheiro.

Gosto quando fico em teu pensamento
quando torno-me teu tormento,
quando não te deixo respirar.
Gosto deste amor impuro,
sempre atrás do muro,
sem tempo pra pensar.

(Reeditado)

17 comentários:

  1. "O que será que será
    Que dá dentro da gente e que não devia
    Que desacata a gente, que é revelia..."


    Adorei, Mi, é meu número esse poema.

    ;)

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  2. Querida amiga

    Hoje minha visita é para agradecer
    o presente que é para mim
    a sua amizade,
    e também desejar
    um maravilhoso Natal,
    onde possas encontrar nestes dias
    ainda mais inspiração
    para a alegria de ser feliz,
    e para o milagre de fazer
    quem passa por tua vida feliz.

    Que o teu olhar seja a mais perfeita
    luz do Natal a enfeitar o mundo.

    ResponderExcluir
  3. Luna

    Amo esta música! Ouço sempre.
    O poema foi inspirado na Calcanhoto, Lugares proibidos. :)

    Um beijo

    ResponderExcluir
  4. Aluisio

    Foi um prazer ler suas "poetagens" e recebê-lo em meu espaço.

    Boa quarta-feira!
    Um abraço

    ResponderExcluir
  5. Alguns pensamentos
    jamais poderiam
    ser proibidos.

    ResponderExcluir
  6. Olá! Lembro-me quando Profeta Yanathomank me dizia em seus sermões o quanto o sexo é libertador... A entrega total e plena, sem medo ou porquês, satisfazendo a carne e aliviando o coração. Ai, ai, como é bom. Cheguei aqui através do Ponderantes e gostei muito do seu blog. Inicio uma nova etapa com um blog dedicado a um personagem que desenvolvi em outro espaço meu. Espero contar com você por lá, certo mesmo, é que estarei aqui. Um abraço.

    http://profetayanathomank.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Incendiou com esse olhar, esse gostar tão intenso, Mi! Gostei especialmente das tuas palavras poéticas de hoje... beeeeijo!!!

    ResponderExcluir
  8. "Por que você faz poema"

    Tbm acho!!!!

    Bjss

    ResponderExcluir
  9. Daniel

    Obrigado pela visita.
    Quanto ao sexo, não é toa que ele é tão importante nas relações!

    :)

    Um abraço

    ResponderExcluir
  10. Alline

    Se você gostou, então está bem. :)

    Um abraço, Alline!

    ResponderExcluir
  11. Parabéns... cada dia mais talento...

    ResponderExcluir
  12. O Chão é a cama para o amor urgente,
    O amor não espera ir para a cama.
    Sobre o tapete no duro piso,
    a gente compõe de corpo a corpo a última trama.
    E para repousar do amor, vamos para a cama!
    Carlos Drummond de Andrade


    beijo

    ResponderExcluir
  13. Nossa, super intenso... para a menina que lê, fantasia, imaginação, para moça que desliza os olhos, lembranças, nostalgia, coração. Menina te deixo um abraço, como moça um obrigada e como Alice, suspiro agudo de emoção.

    ResponderExcluir
  14. muito intensa hein?
    estou me sentindo exatamente assim, adoro os teus textos pois transmitem verdade!

    ResponderExcluir


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)