sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Quem ousará dizer que é só carne?

Sedutoramente atrapalhado.
Enquanto ele se desculpava pelo equívoco, eu, a curta distância o observava. 
Via-lhe o rosto de perfil. O queixo bem definido e pronunciado, a face com traços fortemente masculinos. A voz  segura, forte, vigorosa. Os lábios bem desenhados, os dentes pequenos.
Contrastando com toda a virilidade das linhas do rosto, o cabelo cortado e penteado com jovialidade.
Perdi-me percorrendo-lhe o corpo com os olhos, acompanhava o movimento das mãos que mexiam-se impetuosas ao som do discurso. Achei-o de uma beleza imponente. 
Senti um arrepio percorrer minhas espinhas e um calor lamber meu ventre.
Do outro lado da sala, uma terceira pessoa acompanhava o meu comportamento. 
Corei. Virei para o outro lado. Revirei a bolsa a procura de algo inexistente. 
A palestra terminou. Lamentei o desfecho que punha um ponto final no meu êxtase contemplativo. Levantei-me e saí.
Lá fora estava frio. Escolhi um dos bancos desbotados da Universidade e sentei procurando os últimos raios de sol.
Minutos depois vi-o descendo as escadas, falando ao telefone. Durante algum tempo, gesticulou e caminhou de um lado ao outro. Desligou.
Eu, em uma muda admiração, gozava com a figura do meu colega.
No auge da observação, ele passa por mim... Olho-o num misto de simpatia, surpresa e timidez. Ele balbucia:
- Tudo bem?
Era a oportunidade. Precisava responder alguma coisa. E tinha de ser inteligente. Mas quê! As únicas palavras que me saíram foram as já batidas "Bem e você?".
Ele pareceu interessando em engrenar a conversa. Perguntou-me:
- Teu trabalho de pesquisa é sobre "tal" autor, não é?
E o que se seguiu foi um diálogo totalmente afrodisíaco. Sim... porque palestrar com um homem inteligente é a coisa mais estimulante que conheço!
Ai, ai... ao que parece estou sendo tomada por uma paixão palpitante e viva. E o pior: predominantemente carnal!



16 comentários:

  1. Ué! Tesão existe. E por que não?
    Um beijo grande

    ResponderExcluir
  2. Primeiro, me lembrei dos livros de romance, depois de mim, depois, suspirei e sorri, cúmplice das paixões e das tardes.

    beijos

    ResponderExcluir
  3. Patrícia

    Um romance (?) da vida real, ainda fresquinho...
    Tardes frias, mas de sol, palavras envolventes e beleza imponente são excelentes ingredientes para as paixões.

    :)


    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Clau

    Baixou uma Michele safadinha.
    É a convivência com o Eraldo. risos


    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Viva, em duas conotações: uma interjeição e um verbo, intransitivo como deve ser toda passagem pelos transes dessa coisa maravilhosa chamada vida.
    Abraço carinhoso!

    ResponderExcluir
  6. Michele
    concordo com você: conversar com um homem inteligente é a coisa mais gostosa...totalmente estimulante.
    Menina, adoro cada vez mais os seus textos.
    E o projeto do livro como andas ?!
    Grande beijo e grandes emoções pra ti.

    ResponderExcluir
  7. Existem pessoas que têm o dom de transformar simples papos em conversas afrodisíacas.

    Gostei do seu texto.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Hélcio

    Pequenos momentos que compõem uma vida.

    Abraço e bom FDS

    ResponderExcluir
  9. Marcia

    Um homem inteligente vale mais do que mil bonitos.

    :)

    Que bom que está gostando dos textos!
    Minhas aulas de literatura tem aumentado cada vez mais a vontade de escrever! :D
    Beijos e bom FDS

    ResponderExcluir
  10. Valdeir

    É quase como um encanto. Maravilhoso!

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. "Senti um calor lamber meu ventre"...
    Foi a primeira vez que ouvi esta expressão. Ficou perfeita no contexto!

    Hehehe
    "Na hora, eu fico no 'ah, é, é?'" parece ser um clichê de um antigo programa humorístico que nos invade e nos possui nessas horas... Depois vem a resposta perfeita a reagir... "Mas 'depois' não adianta nada! Tinha que ser na hora" (já completava assim o quadro de humor).

    ResponderExcluir
  12. Andre


    A expressão "lamber meu ventre" foi usada pela primeira vez pelo poeta Olavo Bilac. Achei que associada com calor soaria muito significativa e de uma maneira que não é vulgar.
    Quanto ao "atrapalhamento" nas paqueras, bem... acho que todo mundo fica meio constrangido, não é?
    rsrs

    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Boas falas pra vcs então, nada como o entrosamento pra firmar diálogos! bjus!

    ResponderExcluir
  14. Átila

    Por falar em diálogo, saudades dos nossos papos! :)

    Beijos

    ResponderExcluir


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)