quarta-feira, 7 de setembro de 2011

"Seja por amor as causas perdidas..."

Às vezes sinto vontade de escrever coisas bonitas... Dizer que ainda que o choro afague nosso sono, sempre haverá um raio de sol que virá nos despertar pela manhã.
Às vezes, eu tento acreditar que a vida não é só mais uma prisão ao ar livre. 
Vez ou outra, eu tenho fé que coisas boas vão acontecer, que a paz dos deuses vai se instaurar, como aquele formigamento delicioso que sucede o coito. 
Nunca tive medo do que pode vir a ser. Sou dona de uma coragem quase sincera. Do que eu tenho medo é de cansar e acabar desistindo. Paciência, definitivamente, não é o meu forte.
Esperar, esperar, esperar... exasperar. 
É isso... as esperas me exasperam, cansam, irritam.  Acho que perdemos tanto enquanto esperamos.
Não seria muito mais fácil nos lançarmos diante do desconhecido, sem medo do insucesso? Há coisas, há dias, há momentos urgentes... Existem coisas que não podem esperar. Existem instantes que passam e quando nos damos conta eles se foram para sempre. E o "para sempre" nunca volta. 
Aliás, ando descrente do "para sempre".  Sei que prometi a mim mesma que não falaria das eternidades perdidas... mas cá estou... e olhem: deixem-me... deixem-me quietinha aqui, lamentando as efemeridades sem começo, nem fim. 
E daí que estou me aniquilando, deixando ser tragada, sufocada pela falta de ânimo? 
Alguém se importa com coração? Há coisas tão mais importantes- me disseram... "O pão de cada dia, a luta seca pela sobrevivência, as milhares de criancinhas indefesas e famintas vivendo embaixo da ponte e você aí, desequilibrando-se por amor."
Talvez, o AMOR não passe de uma criação incoerente e sem fundamento. 
Não... não ouçam, não acreditem no que eu digo... o que eu escrevo  não tem importância nenhuma. O que importa é o que eu sinto e eu nunca consigo exprimir aquilo que me aperta.
"Amanhã é outro dia"- consolaram-me ontem. E adiantou? 
Não...
Caminho de um lado a outro do meu coração e o que vejo é o beco, é o beco...
O que vem depois que o "para sempre" acaba?
Ahhhhhhhh... deixem-me.... deixem-me gritarrrrrrr...


_______________________________________________________________________

Postagem de número 2- de 07/09/2011


Caso me encontrem por aí hoje ou qualquer dia destes, por favor: Chamem-me, cutuquem, me abracem... :) Não façam como o Guilherme que passou do MEU LADO na rua e não mexeu comigo! :P    Sou cegueta, não o vi... :/
Não sou tão bonita pessoalmente (risos), mas garanto que venço em simpatia: :D
rsrs....

6 comentários:

  1. Grite, chore, escreva, grite de novo, chore de novo, escreva de novo!
    E eu só posso é orar e te enviar energias positivas!
    Beijos de quem torce pra que fique bem!
    :)

    ResponderExcluir
  2. Bom,segundo a Mirella, a gente não pode matar a esperança pq vamos acabar mortas em um rio, uma semana depois com cortes profundos na pele...Tipo assim, uma vibe toda Laura Palmer.

    Então deixe a esperança vivinha aí mulher, que dias melhores virão! :)

    Bom feriado!

    Bjo

    ResponderExcluir
  3. Mirella


    Renascida.
    Parou a chuva, secou as lágrimas, terminou a TPM. rs...

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Vanessa

    A Mirella manja da vida. :)
    Amodoro a minha amiga.


    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Fases loucas da vida,o bom é que elas passam e tiramos proveito de alguma coisa.

    Se eu te ver na rua você se assustará comigo.Eu vou gritar e te abraçar... #doidinhaeu.

    ResponderExcluir
  6. Naty

    Graças a Deus, elas passam. :)

    Ah e seu te encontrar na rua (e enxergar... hahaha) faço o maior escândalo também! \o/


    Beijos

    ResponderExcluir


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)