sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Quase haicai

Nas tardes de pinga-pinga, 
escorre uma saudade, 
dos bolinhos de chuva,
 da infância sem maldade.


8 comentários:

  1. Que fofo teu quase haicai, Michele!

    E eu adoro bolinhos de chuva!

    beijinhos, querida!

    Bom fim de semana!

    Neli

    ResponderExcluir
  2. A minha infância não era tão sem maldade assim, mas também morro de saudades dela.

    Bjs no pê!

    ResponderExcluir
  3. Querida, passei para devanear um pouco com você... Adorei os bolinhos... RRsrsrsrs...Adorei sua visita no meu Blog (Proética: www.ethosproject.blogspot.com), e passei também para deixar os texto original que você curtiu... Volte sempre... Já estou 'perseguindo' você bem de perto... Um linda vida a você...


    'A natureza (*) define você, o Ator... A experiência escreve os seus personagens... A vida é o palco - no espaço-tempo - onde o maior espetáculo da Terra será encenado: A sua vida...

    Sorria, você está 'ainda' em cartaz... A arte imita a vida? Ou a vida imita a arte?'

    Carlos Sherman

    (*) Genética, Bioquímica, Fisiológica, Neurológica...

    ResponderExcluir
  4. Neli

    Meu avô costumava fazer nas minhas tardes da infância... senti saudades daquele tempo. :)


    Adoro bolinho de chuva tbm!

    Beijos e bom final de semana!

    ResponderExcluir
  5. Eraldo

    Estou sabendo... por isso tantos distúrbios psicológicos na sua pessoa. rsrs

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Sherman

    Obrigado!
    Sempre passo por lá, embora nem sempre deixe um comentário.
    Gostei do texto... estas reflexões nos fazem bem.
    Um abraço e bom fim de semana para você e a Erika!

    ResponderExcluir
  7. Com certeza bolinhos de chuva lembram infância.
    Um beijo grande

    ResponderExcluir


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)