quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Carta para Clarice Lispector

Agradeço a minha colega Stephanie do blog  "Ao vento" por ter encontrado esta postagem no meu baú.
Foi publicada originalmente em janeiro deste ano, mas continua sendo a expressão da minha busca por auto-conhecimento. É estranho, no entanto,  tal como Clarice Lispector, eu não sei dizer quem sou...



Querida Clarice

Tomei a liberdade de lhe dirigir estas tão mal traçadas linhas...
A verdade é que tenho pensado em ti!
Tenho também dedicado boa parte do meu tempo aos teus escritos.
Para ser sincera, suas palavras não param de ecoar dentro de mim, como ocorre quando escutamos determinada música que se fixa em nossos pensamentos e não há meio de livrarmo-nos dela. Não que eu almeje afastar suas idéias de mim. Pelo contrário, desejo-as como um naúfrago espera por socorro. E por assim ser, é que hoje decidi procurá-la.
Antes de expôr-lhe minhas razões e o objetivo real desta carta, gostaria de falar um pouco sobre mim para que você possa compreender o motivo de minhas inquietações.
Nasci em uma família tradicional e estruturada.
Desde pequena, apesar de ter uma mãe falante e desenvolta, fui uma criatura tímida e arredia, avessa ao tumulto social.
Aprendi desta forma, a ser introspectiva, preocupando-me muito mais com o que se passava dentro de mim do que com aquilo que ocorria à minha volta.
Para fugir da realidade crua que me cercava, eu criava mundos imaginários em que as pessoas eram sempre boas e amáveis.
Com o passar do tempo, descobri outras formas de alimentar minha solidão. Passei a devorar milhares de livros, agarrando-me à eles como a uma tábua de salvação.
No entanto, um belo dia, descobri que além de viajar no universo criado por outras pessoas e transformados em livros, eu mesma poderia delineá-los ao meu modo.
A partir de então, passei a produzir. Não tornei-me uma escritora,pelo menos não oficialmente. Mas minhas caixas secretas passaram a acumular cadernos recheados de palavras.
E nestas cadernetas, tão primitivamente rascunhadas, fui deixando retalhos de mim mesma.
No fundo, embora de forma discreta, eu desejava que as outras pessoas me descobrissem e me compreendessem através de minhas palavras.
Transformada nesta caricatura que eu mesma criei, tornei-me uma jovem sensível, enigmática, impulsiva e por vezes lunática.
A esta altura, Clarice, você deve estar pensando no que isso tudo tem a ver com você, não é?!
Pois então, este é justamente o ponto em que eu estava tentando chegar...
O que acontece, cara amiga, é que eu me encontrei em você.
Eu me vi nos seus anseios, nos seus medos,nas suas angústias e alegrias.
E agora, nocauteada por esta descoberta... eu não sei mais o que fazer de mim!
Devo continuar buscando respostas em você, ou devo procurá-las em mim mesma?

Minha cara, estou certa de que em alguma palavra tua encontrarei o que procuro.
Aguardo ansiosa pelas respostas.
Abraço grande.

Michele



“Sou tão misteriosa que não me entendo.” (Clarice Lispector)
"Sou tão Clarice que não me encontro!" (Michele P.)




"Trata-se de saber se devo prosseguir nos meus impulsos. E até que ponto posso controlá-los. [...] Deverei continuar a acertar e a errar, aceitando os resultados resignadamente? Ou devo lutar e tornar-me uma pessoa mais adulta? E também tenho medo de tornar-me adulta demais: eu perderia um dos prazeres do que é um jogo infantil, do que tantas vezes é uma alegria pura. Vou pensar no assunto. E certamente o resultado ainda virá sob a forma de um impulso. Não sou madura bastante ainda. Ou nunca serei.”(Clarice Lispector)

6 comentários:

  1. "Palavras de uma amiga

    'Fortifica o que de melhor tiveres em ti. Não prestes atenção à opinião alheia. Faze de ti mesma e de teu próprio EU o teu mestre. Quando ele estiver bastante fortalecido, despertará e coisas jamais sonhadas te serão reveladas.'"

    A Descoberta do Mundo - Clarice Lispector.

    ResponderExcluir
  2. Clarice e Marisa Monte são as mulheres que mais amo n vida!


    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Algumas pessoas simplesmente nos traduzem, Michele, falam por nós. Clarice é uma descoberta recente pra mim, muito embora me pareça mesmo um deste faróis.

    ResponderExcluir
  4. Saulo

    Palavras vindas em boa hora. Obrigado. Bjs

    ResponderExcluir
  5. Eraldo

    Gosto de Clarice, mas Marisa tbm não é má escolha.

    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Marcio

    Tens razão. Por isso gostamos tanto deste ou daquele escritor.
    Grata pela visita.
    Beijo grande!

    ResponderExcluir


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)