sábado, 3 de julho de 2010

Ao meu caro colega Marco

Marco

É sempre um prazer recebê-lo aqui. Educado, ponderado e com bons argumentos.
Sei que muitos, assim como você, discordam do que tentei expor no texto anterior. Talvez meus olhos "de ver defeitos" estejam afiados demais a ponto de enxergar coisas que não existam.
No entanto, como educadora que sou (e gosto de repetir isso  como forma de  convencer a mim mesma de minha  grande responsabilidade) preocupo-me com certos efeitos midiáticos e tenho percebido em meus alunos algumas influências oriundas deste grupo de "jonalistas-comediantes".
Quando digo que os jovens inspiram-se em Gentili´s e Luque´s da vida não estou usando o termo apenas por usar. É por experiência própria. 
Sabemos o quanto os adolescentes são influenciáveis. No caso em específico, percebo que eles não sabem distingüir entre o que é humor e o que é pejorativo e preconceituoso.
Em uma leitura mais cuidadosa, você poderá perceber que minha crítica dirige-se muito mais aos pais que permitem que seus filhos acompanhem o programa do que aos "humoristas" em si. Afirmei que considero o CQC perigoso ao grupo de indivíduos em formação de caráter (de 12 a 18 anos), pelo motivo já exposto anteriormente. 
Em teu comentário, você argumentou que acompanha o programa e não percebeu nada depreciativo.
Experimente "segui-los" no twitter, blogues e afins e compreenderá ao que me refiro. Nestes sítios, eles parecem bem mais a vontade para liberar o verbo.
Mesmo que opiniões como a de Gentili aparentem ser inocentes, para a moçada é uma espécie de modelo a ser seguido e será objeto de imitação.

Sobre a 14a Parada Gay em São Paulo:
"Hoje São Paulo não está cinza, São Paulo está colorida. É a 14ª Parada do Orgulho LGBT. Aqui a gente encontra gay, lésbica, transexual, simpatizantes e até essas coisas aqui que eu não sei como classificar" (Danilo Gentili)

 A polêmica frase em que cita a categoria dos jogadores de futebol:
 "King Kong, um macaco que, depois que vai para a cidade e fica famoso, pega uma loira. Quem ele acha que é? Jogador de futebol?" (Danilo Gentili)


Meu amigo, é evidente que estes, são dois exemplos pobres e que meus argumentos são amadores, mas, continuo sustentando minha opinião.
Não pretendo aqui convencer ninguém  sobre o que penso ou deixo de pensar. Apenas estou usando o espaço para divulgar o meu parecer e quem sabe encontrar outras pessoas que pensem como eu.

Agradeço seu comentário e respeito a sua maneira de ver a questão. 
Temos pontos de vista distintos e apesar disso conseguimos defender o que pensamos sem nenhum mal estar. Isso é o que torna o ambiente virtual interessante e produtivo.
Volte sempre, a casa é sua!

 Curiosidade:
Há quem seja mais crítico...


Um comentário:

  1. Realmente teu ponto de vista é muito bem apresentado, e não te tiro a razão, embora tampouco te dou ela. Existe sem sombra de dúvidas uma maior liberdade na internet, e alguns comentários que poderiam ser guardados, mas continuo com o pensamento que se tivéssemos mais pessoas que fizessem aquilo que eles fazem estaríamos, quem sabe melhor. Como destacou: a culpa é muito mais dos pais (que deixam eles assistirem ao programa). A culpa de fato é dos pais, se tivesse boa educação em casa, estariam aptos para escolher e não serem influenciados, e veriam aquilo que é humor e aquilo que é ofensivo. Infelizmente não há, ou pouco há de adolescente capaz de fazer uma escolha. A culpa vai muito além de um "humor negro" feito por uma minoria.
    Como já havia dito no post anterior, o tema é muito bom, e gera muito assunto. Sempre bom ler e até contrariar gente que tem um ponto de vista claro e bem apresentado. Com certeza voltarei, sempre que possível estarei aqui, lendo, comentando e até discutindo alguns temas que gerem opiniões contrárias. hahahaha
    Até mais.

    http://marcostrauss.blogspot.com/

    ResponderExcluir


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)