terça-feira, 1 de junho de 2010

O amor...

Há muitas formas de dizer "eu te amo". 
Pode-se simplesmente pronunciar as palavras enquanto os olhos encontram-se e complementam a frase.
Pode-se comprar flores, chocolates, perfumes e entregá-los com um bilhete. 
Pode-se tocar a pessoa e apenas com este gesto ela perceber o quanto é amada.
Existe ainda a possibilidade de não dizer nada, não tocar e não olhar, mas o outro compreender mesmo assim.
É impressionante que, apesar disso, de  termos a capacidade de assimilar o quanto somos ou não amados, nós, seres humanos, precisemos que todas as formas possíveis estejam reunidas para nos convercermos do sentimento do outro.
E é esta incerteza que muitas vezes nos impede de ser feliz.
Temos a necessidade de colecionarmos provas de amor, quando na verdade elas não existem...
Quem dera, tivessemos a espontaneidade de uma criança. Talvez fosse mais fácil.






Fernando Pessoa
O amor, quando se revela...
O amor, quando se revela,
Não se sabe revelar.
Sabe bem olhar p'ra ela,
Mas não lhe sabe falar.

Quem quer dizer o que sente
Não sabe o que há de dizer.
Fala: parece que mente
Cala: parece esquecer

Ah, mas se ela adivinhasse,
Se pudesse ouvir o olhar,
E se um olhar lhe bastasse
Pra saber que a estão a amar!
Mas quem sente muito, cala;
Quem quer dizer quanto sente
Fica sem alma nem fala,
Fica só, inteiramente!

Mas se isto puder contar-lhe
O que não lhe ouso contar,
Já não terei que falar-lhe
Porque lhe estou a falar...

3 comentários:

  1. Quando a necessidade de provas, não há amor. Ou a pessoa tem que tomar uma "surra" pra parar de duvidar. Aos trancos e barrancos, sozinho e só aprendi tudo isso. Hoje não preciso que me amem, não preciso amar, não preciso que digam que me amam, nem preciso dizer. Hoje o que basta são as entrelinhas que cada um guarda pra si.
    Muito bom teu texto. Gostei. Há tempo não lia um texto sobre o tema que me trouxesse tantas lembranças e concordasse tanto.

    http://marcostrauss.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. O amor é um sentimento tão sacramentado por nós mesmos, que muitas vezes temos receio de demonstrar/falar para a pessoa por medo de que ainda não seja a hora ou que ela não mereça...

    Pelo menos comigo é assim!

    Mas to procurando corrigir isso, tentando ser mais criança do que pré-adolescente.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Olha só meninos! Falaram sobre amor muito melhor do que eu... Aplausos para vcs! Gostei...

    Beijos

    ResponderExcluir


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)