sábado, 13 de março de 2010

Orgulhosa? Nem um pouco... rs




Se tem uma coisa que me deixa irritada é perceber que estou sendo avaliada simplesmente pela roupa com a qual estou vestida.
Amo jeans, blusas e vestidos básicos, destes que você compra em quaisquer lojas Marisas. Para completar o visual uma sandália rasteira, sapatos "Moleca" ou um tênis confortável.
Salto alto só em raríssimas ocasiões e a contra-gosto.
Não, isto não quer dizer que sou avessa a feminilidade. Pelo contrário, sou extremamente vaidosa e não abro mão de certas coisas, como por exemplo, meus cremes para corpo e cabelo, minhas colônias e minhas combinações de bolsas e rasteiras.
Mas como eu ia dizendo, detesto usar sapatos com salto alto por dois motivos: tenho 1,76m e calço n.39. ( Deixei de lado o complexo que me assolava quando descobri que a Gisele Bündchen sofre do mesmo mal... risos).
Ou seja, com salto chego a quase 1,82/3m. Sem contar que é um tormento encontrar calçados deste modelo na minha numeração.
Além disso, odeio abrir mão do conforto ou sentir-me incomodada com a roupa. E definitivamente não levo jeito para a elegância. Sou estabanada e tímida por natureza. Imagina só, se levo um tombo por causa de uns malditos sapatos...

Eita... mas não foi isso que me levou a escrever este texto...
Outro dia ganhei de presente de aniversário, um sapato prata, lindo, porém inutilizável para mim.
Experimentei diversas vezes, no entanto cheguei a conclusão de que não teria coragem de usá-lo.
Munida de tremenda cara de pau, pedi à pessoa que me havia presenteado a nota fiscal de compra para que pudesse trocá-lo.
Ao receber a nota, percebi que o sapato pertencia a uma loja chiquérrima e clássica e havia custado uma "nota preta".
Bem, o que eu poderia fazer? Não iria ficar com algo, mesmo que caro, só porque ganhei de presente, certo?
Vesti minha saia jeans preferida, calcei minhas rasteirinhas lilás e me dirigi a tal loja. E foi ao entrar na "conceituada" área comercial que me dei conta de como as pessoas possuem uma visão equivocada da vida.
A vendedora olhou-me dos pés a cabeça com aquela cara de pena enquanto eu procurava por algo que pudesse trocar.
Aproximou-se tão contrariada, como se estivesse certa de que iria perder um tempo precioso e não realizar nenhuma venda.
Informei à criatura que havia ganho um presente da loja e que gostaria de trocar.
Aí foi que ela perdeu o resto da vontade em me atender.
Sozinha em meio àqueles produtos absurdamente caros, me senti desprezada e humilhada.
O sangue foi subindo, subindo...e quando percebi, já havia pedido para ela retirar uma bolsa (da última prateleira, bem lá em cima...kkkkk)que custava, logicamente, muito mais do que minhas posses permitiam.
Mas orgulho é uma coisa terrível. Paguei a significativa diferença (quase 50% do valor do presente) e comprei a bolsa.
Quando percebeu que eu realmente efetuaria a compra e em dinheiro, a vendedora mudou até a expressão.
Saí de lá com a cabeça erguida e meu ego ferido... rsrs

Pelo caminho de volta, tive estes maldosos pensamentos:

1. Com certeza, a bruxinha esnobe deve pertencer a uma família pobre ou não estudou o suficiente para ter uma profissão melhor, caso contrário não estaria trabalhando como vendedora;
2. Obviamente ela nunca passou por um curso de atendimento ao cliente, porque se o tivesse feito saberia que se deve tratar clientes como pássaros preciosos, principalmente quando se é comissionada;
3. Se a criatura é pobre, sem estudo, escrava comercial e sem instrução, porque diabos tem a audácia de menosprezar uma cliente pelo simples fato de estar vestida com jeans?????????????

Ahhhhhhhh, faça-me o favor!!!!!!!!



PS: Por favor meus caros e fiéis leitores, não considerem-me uma pessoa má. Compreendam apenas que senti-me ofendida pela ignorância da moça. E uma pessoa com o orgulho ferido, torna-se ignorante também...
Tenho dito.
rs

2 comentários:

  1. AMIGA,

    Eita situaçãozinha complicada...rs fez bem tendo comprado a bolsa: dinheiro vale menos que orgulho ferido...rs

    Deus me livre, e eu que achava que o sarcástico era eu... Seus pensamentos sobre a vendedora me deram inveja...rs

    Beijão

    ResponderExcluir
  2. Não se assuste, meu amigo!
    Só uso o meu pacote de sarcasmo em situações que me agridem, como defesa pessoal.rsrsrs

    Bjs

    ResponderExcluir


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)