domingo, 3 de janeiro de 2010

Premonições


Sempre me considerei uma pessoa intuitiva. Até porque cresci lendo aquelas revistas super interessantes que afirmam que as escorpianas são deste jeito, as librianas deste outro e as piscianas são emotivas e espirituais... (risos)
Brincadeiras a parte, confesso que por diversas vezes fui surpreendida por este "dom" de prever ou intuir algo antes do fato acontecer.
Quando criança, recordo-me de sentir certos apertos no coração, uma sensação sufocante que colocava-me de sobreaviso! Era batata! Bastava esperar a notícia chegar...
Vocês devem estar pensando em quão divertido deve ser prever acontecimentos, não é?
Pois eu, meus amigos, não acho.
O fato é que, só sinto ou presinto (?) acontecimentos ruins!
Segundo minha mãe, o primeiro epsódio, digamos premonitivo, foi quando minha avó materna esteve em minha casa pela última vez.
Eu tinha na época apenas 4 anos. Nós moravámos aqui no Paraná e a minha avó em São Paulo. Na ocasião, ela tinha vindo nos visitar.
Contam meus pais que ela ficou quinze dias em nossa casa e quando estava arrumando as malas para ir embora, eu que jamais havia chorado ao despedir-me dela, desabei em um mar de lágrimas. E, segundo eles, ao ser consolada com as palavras de que ela voltaria em breve, retruquei dizendo que isso não iria acontecer e que eu sabia que nunca mais a veria.
Dito e feito. Ela faleceu pouco tempo depois e não fui ao seu sepultamento devido a minha pouca idade.
Quando em 2008 meu avô paterno faleceu ,passou-me o mesmo. Acordei com a maldita sensação e fui trabalhar preocupada, na certeza de que algo de mal aconteceria.
Cheguei a comentar com algumas colegas que argumentaram dizendo ser bobagem, coisa da minha cabeça. No entanto, duas horas depois recebi o telefonema que comunicou a sua morte.

(Agora, você que conseguiu chegar até este trecho do meu texto e está pensando que os relatos só se referem à familiares, e portanto não tem validade, vai outro exemplo: os namorados também não escapam deste meu coração que pressente catástrofes!Aff!)

Pois bem, há 1 ano e meio atrás, ao passar pelo processo aflitivo que antecede as tais situações, liguei para aquele que na época era meu namorado e pedi para que prestasse atenção ao dirigir, que eu havia tido um pressentimento e estava preocupada. Ele claro, ainda desconhecendo meu "poder de intuir acontecimentos ruins", riu. Dois dias depois ligou-me do hospital, pois havia sofrido um acidente de moto, quebrado as pernas e tido vários cortes e ferimentos.
(Bom, pelo menos desta eu saí beneficiada, porque após este dia, tudo o que eu falava virava regra! Ele passou a crer no meu magnífico dom. rsrsrs)
E para citar algo mais recente, vou contar o que aconteceu há uns 2 meses.
Tive um sonho com um amigo. Na visão, ele caiu em buraco enorme e eu fiquei desesperada, sem saber o que fazer. Acordei sem compreender o sonho e passei o dia pensando naquilo. Não comentei com ninguém e logo esqueci.
Passados alguns dias, estava conversando com este mesmo amigo através do MSN quando ele, do nada, desapareceu. Vinte minutos depois, ele voltou em estado de choque, totalmente descontrolado. Uma mulher que morava no mesmo prédio que ele, acabara de se jogar do 6o. ou 7o. andar (não me recordo bem) e morrera. Ele ficou traumatizado!

Enfim,posso passar horas citando fatos, mas a questão que me aflige é: São apenas coincidências? Acasos? Fatos sem importância? Ou realmente são avisos divinos? Ou algum tipo de paranormalidade?
De acordo com pesquisa apresentada recentemente no Fantástico (Rede Globo),há uma explicação científica para isso e estudiosos afirmam que estes são apenas avisos que a parte inconsciente de nosso cérebro emite.

Mas caramba! Bem que o meu inconsciente podia emitir coisas boas, não é não??????!!!!!!! Afinal de contas, com tantas tragédias que me acontecem, até que eu penso e ajo positivamente!
Se você ficou na dúvida, basta reler os meus posts... (kkkkkkkkkk)

"Confie nos seus pressentimentos. Eles normalmente são baseados em fatos arquivados abaixo do nível da consciência."
(Dr. Joyce Brothers )

Um comentário:

  1. Michele P.

    agora, fuçando em seu blog delicioso...li este teu post...
    Caraca!
    Cá estamos mesmo, com nossas igualdades mais uma vez...
    Creio em tudo o que escreveu e mais, sinto suas palavras reais, e em forma de desabafos..pois sei bem o que é viver isso...
    também tenho meus pressentimentos e avisos...e digo: dificil!!
    quando quiser, podemos nos entregar á estas nossas histórias...umas muito tristes, outras, meio engraçadas...grande beijo!

    ResponderExcluir


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)