quinta-feira, 8 de outubro de 2009

música "Michèle", de Gérard Lenorman

Tinhas apenas 15 anos...
Ainda usavas fitas nos cabelos...
Moravas pertinho do Grand Palais.
Eu te chamava pela manhã
e, juntos, subíamos (apanhávamos o) no trem para ir ao liceu (colégio).

Michèle, eu me sentava ao teu lado
e, ansioso, esperava a hora do recreio
para ir ao barzinho da escola,
tomar um chocolate quente
e depois, te abraçar, te beijar.

Um belo dia, fizeste dezessete anos...
Teus cabelos soltos, voavam ao vento
e, volta e meia cantavas: Oh! Yesterday!
Nas quintas-feiras, à tarde,
nós íamos ao escurinho docinema assistir às reprises dos filmes da Marilyn Monroe...

Michèle, numa noite de Dezembro
quando a neve caía, cobrindo os telhados
nós estávamos, tu e eu,
dormindo juntos, pela primeira vez.

O tempo passou, suavemente,
e a época do Príncipe Encantado se foi,
aquele que te oferecia viagens
em suas nuvens...
Disseram-me que tinhas casado
no mês de abril, na primavera passada,
e que hoje vives em Paris.

Michèle, tudo isso está tão longe...
As ruas, a alegria dos cafés
e até mesmo os trens da periferia
riem de ti, debocham de mim

Michèle, como tudo isso está longe...
As ruas, a alegria dos cafés...
Até mesmo os trens que circulam na periferia riem ti, troçam de mim, debocham de mim !

Nenhum comentário:

Postar um comentário


"Se você me lê será por conta própria e autorrisco." (Clarice Lispector)